Diario de Pernambuco
Busca

Praia

Maré Vermelha causa intoxicação em banhistas no Litoral Sul de Pernambuco; entenda o fenômeno

O fenômeno geralmente ocorre no verão e pode causar dores de garganta, coceira, enjoo e vômitos

Publicado em: 31/01/2024 21:20 | Atualizado em: 31/01/2024 22:29

Além de causar mal-estar nas pessoas, as toxinas emitidas pelas algas são capazes de contaminar os peixes, moluscos e crustáceos (Foto: Vinicius Lubambo)
Além de causar mal-estar nas pessoas, as toxinas emitidas pelas algas são capazes de contaminar os peixes, moluscos e crustáceos (Foto: Vinicius Lubambo)

Turistas e moradores que frequentam as praias de Ipojuca e Tamandaré, no Litoral Sul do Estado, relatam que estão sofrendo mal-estar após o banho de mar. Pelo menos três pessoas foram hospitalizadas em uma unidade particular por conta de um fenômeno natural conhecido como “Maré Vermelha”.

Este evento ocorre quando há um crescimento excessivo de algas microscópicas no mar, processo chamado de floração. Por conta disso, a água fica com algumas manchas de coloração avermelhada, podendo ficar marrom, amarela, roxa ou laranja. 

Até o momento, 15 notificações foram feitas ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde de Pernambuco (CIEVS/PE). Os pacientes relatam ter sintomas como dores de cabeças e garganta intensas, febre e enjoos. A Secretaria de Saúde do Estado está investigando o caso.

De acordo com a pasta, uma equipe de fiscalização da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) foi até o local para coletar amostras da água, que serão analisadas para entender o que pode ter causado os sintomas nos pacientes. Uma outra equipe será enviada ao local nesta quinta-feira (1) para colher mais informações junto com profissionais da 3ª Regional de Saúde e do município de Tamandaré.

A secretaria ainda informou que os municípios de Ipojuca, Sirinhaém, Rio Formoso e São José da Coroa Grande foram acionados para investigar a situação. Além de causar mal-estar nas pessoas, as toxinas emitidas pelas algas são capazes de contaminar os peixes, moluscos e crustáceos.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) recomenda que as pessoas evitem ir à praia durante este período.

Maré Vermelha atingiu Maracaípe em 2019

Banhistas e surfistas que frequentaram a praia de Maracaípe, no município de Ipojuca, Litoral Sul de Pernambuco, em fevereiro de 2019 também sofreram com os sintomas causados pela Maré Vermelha.

Pessoas que tiveram contato com a água e até com o vento próximo à orla relataram sintomas como forte dor de cabeça, dor na garganta, coceira, febre, irritação nos olhos, enjôo e tontura.

Na época, o secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano esclareceu que não é possível prever quando este fenômeno vai acontecer e que, durante a Maré Vermelha, as algas exalam um cheiro forte semelhante ao do vinagre.

Geralmente, a Maré Vermelha acontece por conta da floração de algas chamadas dinoflagelados, que produzem algumas toxinas que estão entre os venenos mais fortes do mundo. Este envenenamento pode acontecer de forma direta, matando peixes e outros animais marinhos, e indireta, intoxicando ostras e moluscos que filtram a água do mar. Quando estes animais são consumidos por outros, a toxina pode causar a morte do predador.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL