Diario de Pernambuco
Busca

Caruaru

Fábrica de placas clandestinas é identificada em Caruaru

Policiais militares identificaram a fábrica no bairro de Morada Nova

Publicado em: 09/01/2024 21:05 | Atualizado em: 09/01/2024 22:30

 Os agentes identificaram no local uma prensa usada para produção e placas prontas com numerações e letras (Foto: Divulgação)
Os agentes identificaram no local uma prensa usada para produção e placas prontas com numerações e letras (Foto: Divulgação)

Uma fábrica de placas clandestinas para veículos foi identificada no bairro Morada Nova, em Caruaru, por policiais do 1º Batalhão Integrado Especializado nesta terça-feira (9). Os agentes identificaram no local uma prensa usada para produção e placas prontas com numerações e letras.

O Batalhão conduziu duas pessoas para a delegacia de plantão para que elas prestassem depoimentos. No entanto, ainda não foi comprovado se elas possuem envolvimento com o crime. A Polícia Civil dará continuidade às investigações do caso.

O criminoso que adulterar a placa ou outros itens de identificação de um veículo pode pegar de 4 a 8 anos de prisão. Também é proibida a alteração de chassi (documento de identidade de um veículo), monobloco (conjunto de peças que quando unidas formam a estrutura de um veículo) e motor dos veículos.

De acordo com o Diário Oficial da União, esta pena vale para "aquele que adquire, recebe, transporta, conduz, oculta, mantém em depósito, desmonta, monta, remonta, vende, expõe à venda, ou de qualquer forma utiliza, em proveito próprio ou alheio, veículo automotor, elétrico, híbrido, de reboque, semirreboque ou suas combinações ou partes, com número de chassi ou monobloco, placa de identificação ou qualquer sinal identificador veicular que devesse saber estar adulterado ou remarcado".

Em muitos casos, as placas dos veículos são clonadas, causando prejuízo para os verdadeiros donos destes itens, que começam a receber multas que não reconhecem. Também é importante que os compradores de veículos seminovos fiquem atentos a alguns pontos na hora da compra:

  • Conferir se o número do chassi e o do documento correspondem
  • Procurar modificações e rasuras nos documentos
  • Exigir um decalque do chassi e observar possíveis retoques no dígitos
  • Ficar atento ao desgaste no arame de lacração
  • Procurar o chassi em um dos vidros, uma vez que ao menos um deles deve identificá-lo

Se o motorista identificar que a placa foi clonada, é essencial que um Boletim de Ocorrência seja registrado para comprovar que foi vítima de uma fraude. Em seguida, o BO deve ser apresentado ao Detran, que irá solicitar uma série de documentos como fotos do carro original e certificado de licenciamento. Assim que a clonagem for comprovada, o Detran irá inserir um registro de restrição. 

Enquanto o veículo clonado não seja identificado, é importante que o proprietário fique atento às multas para instaurar um inquérito e entrar com recursos contra os delitos.
Tags: fábrica | placas | caruaru |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL