Diario de Pernambuco
Busca

Redação nota mil

Estudante pernambucano que teria atingido nota mil na redação do Enem se envolve em confusão após suspeita de fraude; entenda

Igor Kleyverson mora em Escada e acredita que tenha sido vítima de um hacker ou de um erro no sistema do Inep

Publicado em: 18/01/2024 19:55 | Atualizado em: 19/01/2024 12:45

O jovem veio a público na noite desta quarta-feira para esclarecer o que tinha ocorrido (Foto: Reprodução/Fábrica Concursos)
O jovem veio a público na noite desta quarta-feira para esclarecer o que tinha ocorrido (Foto: Reprodução/Fábrica Concursos)

O estudante Igor Kleyverson da Silva, de 23 anos, viu o sentimento de alegria por alcançar a nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se transformar em um tormento. Isso porque desde a noite desta quarta-feira (17), na Página do Participante do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), consta que a nota do jovem é 680. O vestibulando seria um dos dois candidatos no estado a alcançar a nota máxima. A outra foi a professora Lilían Carvalho. Até o momento, nenhum outro estudante veio a público informar que tirou nota mil na redação do Enem de 2023.
 

Igor mora no município de Escada, na Zona da Mata, e é ex-aluno do curso preparatório Fábrica Concurso, que fez publicações nas redes sociais referentes à nota do vestibulando na terça-feira (16), quando o resultado do exame foi divulgado. O jovem veio a público na noite da quarta-feira para contar o que tinha ocorrido. Por meio de um vídeo no Instagram, o estudante alegou que pode ter sido vítima de um hacker ou de um erro no sistema do Inep.

“Acordei com a notícia da minha irmã dizendo que eu estava sendo investigado por fraude. Quando fui entrar [na Página do Participante], as minhas notas estavam todas abaixo daquilo que eu tinha postado. Mas eu fiz vídeo, foto e não tinha com o que me preocupar. A gente desconfia que pode ter sido algum erro do Inep ou algum ataque”, alegou. O estudante ainda disse que contratou um advogado e que fez uma requisição para o Inep.
 
Inep esclarece o ocorrido 

Por meio de nota, o Inep informou que “a base de dados com os resultados das redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023 é a mesma desde a publicação no ambiente de administrador da Página de Participante, que ocorreu em 15 de janeiro de 2024 para a divulgação realizada no dia seguinte”. 

Igor Kleyverson enviou capturas de tela das notas antes e depois da suposta alteração. Não somente a nota da prova de redação estava diferente, como as das áreas de conhecimento Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, que foi de 594,4 para 634,4 e Matemática, que subiu de 632,5 para 917,5.

Estudante negou acessar Página do Participante em público 

O jovem explicou que não quis abrir a Página do Participante na frente do diretor do curso, Gabriel Veras, por questões de segurança e negou a versão anterior em que ele afirmava que a namorada que teria visto a nota primeiro, pois ele tinha esquecido a senha de acesso.
 
Ao Diario de Pernambuco, Igor Kleyverson contou que o diretor do curso preparatório foi quem acessou a Página do Participante do estudante e o acusou de ter fraudado as notas. “O diretor da escola teve acesso de alguma forma a minha Página do Participante. Ele entrou na plataforma para ver e estava com os meus dados, que eu não forneci. E se eu tivesse fornecido de alguma forma, eu não dei a permissão para ele invadir a minha privacidade. Quando eu abri, foi que eu tive a surpresa e na mesma hora a gente procurou um advogado e mandou uma nota para o Inep, mas até agora estamos sem resposta”, afirmou.

No entanto, o diretor do  Fábrica Concurso, Gabriel Veras, negou que tenha acessado a conta do estudante e que Igor “já havia me mostrado a página aberta em sua casa”. O diretor relatou que soube que o estudante não havia atingido a nota máxima através de um vídeo enviado pelo Whatsapp, onde supostamente o aluno aparece adulterando as notas. 

“Por se tratar de um município pequeno, começaram com um burburinho da existência de um vídeo da página do candidato do Inep, fazendo uma ‘edição in loco’, inspecionando a aba e adulterando o resultado oficial. Esse vídeo circulou em grupos de whatsapp e chegou ao meu conhecimento”, explicou.
 
Curso preparatório apaga homenagens nas redes 

Logo após ser informado que o estudante poderia não ter alcançado a nota mil na redação, o diretor do curso preparatório removeu as postagens em homenagem ao jovem.

“O Fábrica Concursos, por meio do seu departamento jurídico, está aguardando as apurações dos fatos que aconteceram nas últimas 24h, envolvendo um ex-aluno. Ao serem apurados todos os fatos, e sendo provado qualquer fato contrário fora da lei, tomaremos as medidas cabíveis. Ressaltamos que tivemos um resultado excelente nas redações, com + de 45 notas acima de 800 pontos, número recorde na nossa região. Qualquer retratação será feita mediante ordem superior, sempre agindo de forma correta, dentro da lei, com toda credibilidade e seriedade que prezamos”, disse o curso por meio de nota.

Questionado sobre os métodos de segurança a serem tomados de agora em diante, o curso informou que irá utilizar o acesso do aluno para evitar erros como este. Anteriormente, os estudantes apenas enviavam uma foto das notas.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL