Diario de Pernambuco
Busca

Tá chegando a hora!

Carnaval 2024: conheça o imenso quebra cabeça que vai virar o Galo Gigante da Paz

Detalhes da alegoria foram revelados nesta quarta (31). Escultura vai para a ponte no sábado (03) e será erguida na quarta (07)

Publicado em: 31/01/2024 10:51 | Atualizado em: 31/01/2024 14:51

Pés do Galo Gigante da Paz estão quase prontos  (Foto: Rafael Vieira/DP)
Pés do Galo Gigante da Paz estão quase prontos (Foto: Rafael Vieira/DP)
Um imenso quebra cabeças vai, aos poucos, se transformando no Galo Gigante da Paz. 
 
A alegoria está recebendo os últimos ajustes para começar a montagem, a partir das 15h do próximo sábado (3), na Ponte Duarte Coelho, no Centro do Recife. 
 
Em seu reinado durante o período momesco, o gigante homenageará a terceira idade, os povos originários, além de prestigiar artistas do sertão do estado.
 
Nesta quarta (31), foram revelados detalhes da escultura. A imprensa teve acesso ao galpão onde o artista plástico e designer Leopoldo Nóbrega confeccionou o Galo Gigante este ano. 
 
O artista plástico e criador do galo gigante, Leopoldo Nóbrega iniciou o tour pelo galpão para explicar cada uma das partes que foram a imensa escultura.

“Este ano, ele traz cores especiais. São cores mais pastéis, com bastante branco, uma cartela que é personalizada, com apoio dos artistas que estão aqui envolvidos. O artista que fez o trabalho  de grafitagem aqui  é o Dent Artes e seus auxiliares Lina Rosa e Mano. São peças todas revestidas com lona de banner e de outdoor, todos revestindo o galo gigante. Então o azul, o vermelho, o amarelo, o verde, o preto e o branco também, que vai estar presente em várias peças. Esse efeito de brilho e de luz, a gente quer que ele aconteça nas alturas, uma coisa mais estrelada” explicou Leopoldo.

Seus pés serão adornados pelas varandas da paz. Que são as redes e macramês confeccionadas pelas tecelãs da Cooperativa dos artesãos têxteis de Tacaratu (Coopertextil), no distrito de Caraibeiras, distrito de Tacaratu, Sertão de Pernambuco.

O entusiasta Bruno Araújo, que é morador do município e, de acordo com Leopoldo Nóbrega, foi o grande incentivador na criação deste ano.
No peitoral do galo, será colocada a sombrinha da paz (Foto: rafael Vieira/DP)
No peitoral do galo, será colocada a sombrinha da paz (Foto: rafael Vieira/DP)
“Poder inspirar um artista plástico dessa magnitude é muito gratificante para mim. Poder enaltecer o trabalho dessas pessoas é realmente muito bom. No município, cerca de 12 mil artesãos vivem da confecção desses produtos”, revelou Bruno Araújo, incentivador do polo têxtil da cidade e desenvolvimento econômico do município.

O peitoral do galo será enfeitado com as rendas que já estão pintadas em branco para simbolizar o pedido de paz que a alegoria faz esse ano.

As asas serão tatuadas com o símbolo da paz reafirmando o compromisso para o desfile do Galo Gigante da Paz.
As asas do Galo o símbolo da paz será tatuado   (Foto: Rafael Vieira/DP)
As asas do Galo o símbolo da paz será tatuado (Foto: Rafael Vieira/DP)
Ele é feito praticamente com materiais recicláveis. Desde o fim do último desfile, em 2023, os artistas receberam materiais para a confecção do novo Galo. 
 
Os CDs simbolizam uma grande lantejoula e vão enfeitar a cauda da alegoria. As serpentinas também são feitas de lonas de banner.
 
Esses materiais vieram da galeria do ritmo que fica na parte de cima do morro da Conceição, na Zona Norte da capital pernambucana. 
Grupo da  Associação Nacional da Terceira Idade (Anati) está finalizando a confecção das penas do Gigante (Foto: Rafael Vieira/DP Fotos)
Grupo da Associação Nacional da Terceira Idade (Anati) está finalizando a confecção das penas do Gigante (Foto: Rafael Vieira/DP Fotos)
 
O passeio pelo galpão de cocriação do Galo Gigante terminou com a apresentação da Associação Nacional da Terceira Idade (ANATI), que está finalizando a confecção do manto sagrado do galo, inspirado no manto Tupinambá, utilizando a técnica upcycling (que consiste no reaproveitamento de objetos e materiais para criar novos itens), eles trazem a questão da sustentabilidade, a força das cores, a energia da Terceira Idade na construção e a cocriação como metodologia integrativa, no processo do Galo da Madrugada.

Serão mil penas, envolvidas no corpo do Galo, além das outras partes da obra. É um trabalho que aproxima a inovação e também a tradição do carnaval de Pernambuco. 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL