Diario de Pernambuco
Busca

CARNAVAL 2024

Aurora dos Carnavais anima foliões no Centro do Recife

Com romantismo e poesia, a 25ª edição do Encontro de Pau e Cordas Aurora dos Carnavais desfilou neste domingo (28) e reuniu centenas de famílias e foliões

Publicado em: 28/01/2024 19:18 | Atualizado em: 28/01/2024 20:06

O evento aconteceu na Rua da Aurora, na área Central do Recife, reunindo mais de 20 agremiações de Pau e Cordas  (Foto: Rafael Vieira/DP)
O evento aconteceu na Rua da Aurora, na área Central do Recife, reunindo mais de 20 agremiações de Pau e Cordas (Foto: Rafael Vieira/DP)

Com muitas cores, brilho e cantorias que mais de 20 agremiações de pau e cordas desfilaram, neste domingo (28), no tradicional Encontro de Pau e Corda Aurora dos Carnavais, no Centro do Recife. 

Nem mesmo o forte calor inibiu o público de centenas de pessoas que acompanharam o desfile dos blocos líricos, na Rua da Aurora, no bairro de Santo Amaro. 

E, pela primeira vez, em 25 anos de desfile, o evento ocorreu em dois dias, no sábado (27) e neste domingo (28), o que fez diversas famílias aproveitarem para acompanhar por mais tempo o romantismo e a emoção dos tradicionais blocos líricos. 

A concentração aconteceu por volta das 15h30, em frente ao Monumento Tortura Nunca Mais e, em seguida, saiu em cortejo até um palco que estava instalado em frente ao Ginásio Pernambucano, que também fica na Rua da Aurora. 
O encontro chega a sua 25ª edição e desfilou com tradição e alegria no Centro do Recife  (Foto: Rafael Vieira/DP)
O encontro chega a sua 25ª edição e desfilou com tradição e alegria no Centro do Recife (Foto: Rafael Vieira/DP)

Este ano, o tradicional cortejo dos Flabelos dos blocos líricos prestou homenagem à Lêda Alves, madrinha do Aurora dos Carnavais, e à Miriam Leite, Dama dos Blocos de Pau e Cordas, ambas falecidas em 2023. 

O público também pôde acompanhar os shows que contaram com as participações especiais de Cláudia Beja, Arthur Phelipe e Ed Carlos. 

Entre gerações

Em sua 25ª edição, o encontro de Flabelos separa grandes histórias que entrelaçam várias gerações de famílias que compõem e participam dos blocos líricos que desfilam anualmente no Carnaval do Recife. 

Uma dessas marcantes histórias é da aposentada Maria Aparecida Pires, de 63 anos e a sua filha, a biomédica Isabelle de Melo, 33 anos. 

Mãe e filha desfilam juntas há cinco anos no Bloco Flor do Tamarindo, sediado em Carpina, na Zona da Mata Norte do Estado, que desde 2018 desfila pelas ruas do Recife com saudosismo dos antigos carnavais, mas trazendo a nova geração de Flabelos e musicistas. 

“Eu desfilo, antes mesmo do Flor do Tamarindo, desde de 2014, por incentivo da minha mãe, que desde nova é apaixonada por Carnaval, assim como eu. Essa minha paixão veio da minha família, da minha cultura, pois sempre gostei e sempre brinquei. E nós estamos de geração em geração brincando pelas ruas do Recife. Amamos o Aurora dos Carnavais, adoro participar desse evento. O bloco lírico traz o romantismo, a sutileza das fantasias, se destaca no meio das demais troças carnavalescas, onde me sinto muito à vontade”, ressaltou a flabelista ao lado da mãe, que este ano foi a vice-campeã do concurso de Flabelos do Recife 2024. 
A aposentada Maria Aparecida, 63 e a sua filja, a biomédica Isabelle de Melo, 33, desfilam juntas no Bloco Flor do Tamarindo  (Foto: Rafael Vieira/DP)
A aposentada Maria Aparecida, 63 e a sua filja, a biomédica Isabelle de Melo, 33, desfilam juntas no Bloco Flor do Tamarindo (Foto: Rafael Vieira/DP)

Outra que têm a sua história de paixão de Carnaval entrelaçada com os desfiles dos blocos líricos é a professora Sandra Melo, de 51 anos, que é flabelista do Bloco Cordas e Retalhos, agremiação na qual desfila há 23 anos. 

Ela conta como é a função dos flabelos durante o cortejo das agremiações. 

“As flabelistas é uma espécie de abre alas, ela é que conduz os blocos líricos pelas ruas e praças da cidade. Tem um papel de porta-estandarte das tradicionais troças de frevos, mas nós somos compostas em grande maioria por mulheres, onde traduzimos nas ruas o lirismo da poesia pernambucana, do conjunto de pau e cordas. Somos 27 blocos líricos no estado. Recebi o convite no segundo ano de fundação, 1999, onde iniciou o trabalho na Praça da Várzea, onde somos levados muito à música. E desde que entrei, o pessoal já dizia: ‘você tem que ser flabelista!’ e até hoje estou aqui assumindo esta função no qual eu amo e faço questão de todos os anos estar junto e desfilando”, contou a flabelista visivelmente emocionada por desfilar em mais um Carnaval. 
A professora Sandra Melo, 53, desfila há 23 anos como flabelista no Bloco Cordas e Retalhos  (Foto: Rafael Vieira/DP)
A professora Sandra Melo, 53, desfila há 23 anos como flabelista no Bloco Cordas e Retalhos (Foto: Rafael Vieira/DP)

Mulheres que resistem ao espaço predominantemente masculino na música

Nas orquestras de Frevo e de tradicionais blocos de Pau e Corda, mulheres estão resistindo ao espaço que predominantemente é ocupado por homens. 

Mas, a cada ano que se passa, as mulheres furam a bolha do machismo patriarcado e ocupam o espaço de destaque nas orquestras.  

É o caso da flautista Bráulia Vital, de 52 anos, que toca há mais de 20 anos no Carnaval do Recife. 

“Eu queria que essa nossa força, de nós mulheres, estivesse presente em todos os espaços, pois a gente precisa quebrar barreiras todos os dias. Eu faço Carnaval há mais de 20 anos, onde também toco na Orquestra Popular do Recife. Sou uma das únicas mulheres também na orquestra e fico feliz por estar tentando romper isso (machismo) e chamar outras mulheres para estarem neste cenário. É difícil pra mulher o mercado de trabalho, em todas as áreas. E na música e na arte também não é diferente. Aqui (a orquestra) é minha vida, pois eu faço música desde sempre. Vivo de música e sobrevivo de música e, assim como eu, espero que outras mulheres participem deste processo também”, ressaltou a musicista. 
A flautista Braúlia Vital, 52, há mais de 20 anos é musicista de orquestra nos carnavais do Recife  (Foto: Rafael Vieira/DP)
A flautista Braúlia Vital, 52, há mais de 20 anos é musicista de orquestra nos carnavais do Recife (Foto: Rafael Vieira/DP)
 

Encontro de famílias para saudar os Flabelos

Centenas de famílias aproveitaram o domingo de sol para se reunir e desfrutar do romantismo e a poesia dos blocos líricos no Encontro de Pau e Cordas Aurora dos Carnavais. 

É o caso da assistente social Tancy Nascimento, de 36 anos, que levou as filhas, Ana Maria, de 4 anos, e Liz, de 9 anos, para curtir pelo segundo ano seguido o desfile das agremiações. 

Elas moram na Rua da Aurora, próximo onde o cortejo dos Flabelos se concentraram e, segundo a foliã de muitos carnavais, valeu muito a pena levar suas filhas para curtir o momento. 
A assistente social Tancy Nascimento, 36, levou as suas filhas para curtir o desfile dos blocos líricos do Aurora dos Carnavais  (Foto: Rafael Vieira/DP)
A assistente social Tancy Nascimento, 36, levou as suas filhas para curtir o desfile dos blocos líricos do Aurora dos Carnavais (Foto: Rafael Vieira/DP)

“Sigo a tradição da minha mãe que me trazia todos os anos para assistir o desfile e faço questão de trazer as minhas filhas para seguir esta tradição. A mais nova ama o Carnaval e faz questão de trazer seus confetes. Para nós, em família, é uma programação muito boa. O rito dos blocos nos contagia todos os anos a brincar e celebrar a vida”, ressaltou Tancy.
A pequena Ana Maria, de 4 anos, curtiu o evento com confetes e muita alegria  (Foto: Rafael Vieira/DP)
A pequena Ana Maria, de 4 anos, curtiu o evento com confetes e muita alegria (Foto: Rafael Vieira/DP)
 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL