Diario de Pernambuco
Busca

ASSASSINATO

Policial civil suspeito de matar PM por causa de vaga de estacionamento socorreu vítima e se apresentou em delegacia

Polícia não disse ainda se comissário foi autuado ou se seguiu para alguma unidade prisional do estado

Publicado em: 06/11/2023 09:24 | Atualizado em: 06/11/2023 15:09

A discussão por uma vaga de estacionamento que culminou na morte do PM, aconteceu em frente a um supermercado, no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife  (Wilson Maranhão/DP)
A discussão por uma vaga de estacionamento que culminou na morte do PM, aconteceu em frente a um supermercado, no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife (Wilson Maranhão/DP)
O policial civil de 64 anos suspeito  de atirar e matar um policial reformado da Polícia Militar, após uma discussão por causa de uma vaga de estacionamento, ainda ajudou a socorrer a vítima e se apresentou espontaneamente à delegacia após o crime. 

Essa afirmação é da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE). Por meio de nota enviada à reportagem do Diario de Pernambuco, nesta segunda (6), a corporação afirmou que o caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). 
 
A polícia não revelou se o suspeito foi autuado e se foi liberado ou levado para alguma unidade prisional do estado. 

O crime aconteceu no domingo (5), quando o PM reformado Albino Ferreira Ferro Neto, de 39 anos, foi morto após ser atingido por um disparo na barriga, após discutir com o policial civil aposentado, por uma vaga de estacionamento de um supermercado, no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife. 
 
Segundo a assessoria de imprensa da PMPE, o cabo reformado Albino Ferreira Ferro Neto foi aposentando em 29 de junho de 2015, conforme portaria da Fundação de Aposentadorias e Pensões dos Servidores de Pernambuco (Funape). De acordo com a corporaçãi, o PM foi para reserva após um incidente de serviço, que culminou no processo de invalidez física.
 
Ainda de acordo com a corporação, apesar de se tratar da morte de um policial militar, as investigações sobre o caso ficarão a cargo da Polícia Civil 

Informações extraoficiais dão conta que o suspeito foi identificado como Edilson César Gadêlha de Freitas, que é comissário aposentado da PCPE. 
 
De acordo com a corporação, após ser baleado, o PM ainda foi socorrido pelo próprio atirador, para o Hospital Getúlio Vargas (HGV), que fica a poucos metros do local do crime. Porém, a vítima não resistiu aos ferimentos e faleceu na unidade hospitalar. 
A vítima foi socorrida pelo próprio atirador, para o Hospital Getúlio Vargas (HGV), no Cordeiro, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu  (Wilson Maranhão/DP)
A vítima foi socorrida pelo próprio atirador, para o Hospital Getúlio Vargas (HGV), no Cordeiro, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu (Wilson Maranhão/DP)

“O autor se apresentou espontaneamente à delegacia para esclarecimentos e procedimentos cabíveis”, disse a PCPE em nota. 

Informações extraoficiais dão conta que o crime aconteceu por volta das 7h do domingo (5), durante movimento intenso de comerciantes e consumidores da tradicional feirinha do Mercado do Cordeiro, que fica ao lado do supermercado onde a discussão entre vítima e suspeito ocorreu, na rua Honório Correia. Houve tumulto e muita correria após o disparo que atingiu o PM reformado. 

 
Imagens
 
Um vídeo de uma câmera de videomonitoramento que circula nas redes sociais registra o momento da discussão que resultou na morte do PM. Nas imagens é possível ver que a vítima se direciona ao veículo do suspeito e inicia a discussão. 
 

Em determinado momento, o suspeito abre a porta e desce do veículo e ambos continuam discutindo e, em seguida, a vítima desfere uma tapa no rosto do suspeito. 
O crime foi registrado por uma câmera de videomonitoramento do entorno do supermercado  (Foto: Reprodução/Redes sociais )
O crime foi registrado por uma câmera de videomonitoramento do entorno do supermercado (Foto: Reprodução/Redes sociais )

Nesse momento, há um princípio de briga com agressões físicas. O policial civil saca a arma e dispara contra o policial militar que cai no chão. É visível que mesmo após balear a vítima, o suspeito continua discutindo com ela, sem sequer ser contido. 

Uma equipe do Instituto de Criminalística (IC) foi até o local e realizou perícia, aprendendo, inclusive, a arma e as munições deflagradas usadas pelo policial civil. 
 
O corpo do PM foi encaminhado para o Instituto de Medicinal Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, na área Central do Recife. 

Respostas
 
A reportagem do Diario procurou a assessoria de imprensa da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), para saber se a corporação abrirá algum procedimento interno de investigação para apurar as circunstâncias do assassinato do cabo reformado. Até a publicação desta matéria, não houve respostas. 

A redação também procurou a Secretaria de Defesa Social (SDS), por meio de sua assessoria de imprensa, para saber quais as medidas a pasta irá tomar sobre o caso. Até o momento, também não houve respostas.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL