Diario de Pernambuco
Busca

Série de reportagens

Pichações e mato na entrada: antigo prédio da vice-governadoria é retrato do abandono em pleno Centro do Recife

Palácio Frei Caneca, em Santo Amaro, é alvo da primeira matéria de uma série de reportagens do Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/11/2023 09:35 | Atualizado em: 04/11/2023 09:34

O Palácio Frei Caneca, antiga sede da vice-governadoria do estado, foi a edificação onde muitos documentos importantes para os rumos de Pernambuco foram assinados (Rafael Vieira/DP)
O Palácio Frei Caneca, antiga sede da vice-governadoria do estado, foi a edificação onde muitos documentos importantes para os rumos de Pernambuco foram assinados (Rafael Vieira/DP)
 
Quem passa diariamente pela Avenida Cruz Cabugá, no bairro de Santo Amaro, na área Central do Recife, uma das mais importantes malhas viárias da cidade, mal sabe que um dos principais prédios do Poder Público Estadual está ali, fechado e degradado se “escondendo” atrás de pichações e mato na fachada. 

O Palácio Frei Caneca, antiga sede da vice-governadoria do estado, foi a edificação onde muitos documentos importantes para os rumos de Pernambuco foram assinados. O imóvel  também serviu de dependência oficial de vices-governadores por mais de cinco décadas. 
 
O Palácio Frei Caneca é o primeiro prédio público abandonado que será alvo de uma série de reportagens do Diario de Pernambuco. A idéia é mostrar aos leitores que imóveis, hoje degradados, tiveram importância histórica. 

Atualmente, o prédio está praticamente abandonado, sofrendo os efeitos do tempo e falta de uso.  Além disso,  é  alvo de atos constantes de vandalismo e pichações. 
O governo do estado prometeu que vai executar ações de reestruturação da edificação. 

O Palácio Frei Caneca era a sede da vice-governadoria até a posse de João Lyra, pai da atual governadora Raquel Lyra (PSDB), como governador, em 2014. Ele era vice-governador e assumiu com a renúncia de Eduardo Campos para disputar o pleito das eleições presidenciais daquele ano. 

Atualmente,  a vice-governadora Priscila Krause (Cidadania), trabalha na Avenida Rio Branco, no Bairro do Recife Antigo, também na área Central da cidade, bem perto da antiga edificação. 

Construído em 1967, o prédio dá nome a um dos principais baluartes da Revolução Pernambucana de 1817. Joaquim do Amor Divino Rabelo, conhecido por Frei Caneca. Ele ganhou esse apelido por causa da infância modesta, quando vendia canecas nas ruas do Recife, no período do Brasil Colônia. 
Ele ordenou-se em 1799, no Convento do Carmo, e foi professor de geometria, retórica, poesia, filosofia e moral.

Frei Caneca foi preso na Bahia, onde ensinava suas ciências a seus companheiros de prisão. Ao ser libertado, em 1821, um ano antes da independência do Brasil, recomeçou a lutar pela independência republicana.
Preso, Frei Caneca foi condenado à forca. Diante da recusa dos carrascos de cumprirem a sentença, ele foi arcabuzado (morto a tiros de arcabuz, antiga arma de fogo portátil), no Forte das Cinco Pontas, no bairro de São José, também na área Central da capital.

O Palácio na visão de quem o vê

 Palácio Frei Caneca possui o salão de recepção e três andares, além de uma área de estacionamento para veículos exclusivos à serviço do executivo estadual. O prédio fica ao lado da sede da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). 

Entretanto, todos os pavimentos encontram-se degradados, onde mal se vê janelas intactas, com diversos pontos de deterioração, além de diversas pichações. 

Para quem trafega diariamente ao entorno do Palácio Frei Caneca, fica visível a degradação da edificação. É o caso do mecânico Luiz Augusto, de 31 anos, que trabalha em uma oficina de carros, situada na Avenida Norte com a Cruz Cabugá, e passa todos os dias no caminho a pé para o trabalho. 

Ele faz o trajeto há mais de dez anos e lamenta o processo de abandono e degradação que o Palácio Frei Caneca enfrentou nos últimos anos.

“Antigamente aqui (Palácio) era um local frequentado por muita gente, por muitas autoridades. Já vi, inclusive, alguns vices-governadores chegando e saindo. Um local muito intenso. Dava gosto de ver, achava bem bonito. Mas agora está bem abandonado, nem parece que era um prédio público”, lamentou. 
O mecânico Luiz Augusto, de 31 anos, passa diariamente pelo Palácio Frei Caneca, no bairro de Santo Amaro (Rafael Vieira/DP)
O mecânico Luiz Augusto, de 31 anos, passa diariamente pelo Palácio Frei Caneca, no bairro de Santo Amaro (Rafael Vieira/DP)

Ainda segundo ele, após a desativação dos trabalhos da vice-governadoria, o prédio virou um local ermo, mal iluminado e com invasões constantes. O mecânico teme que a edificação se torne até ponto de tráfico de drogas. “Desde que aqui virou um ‘museu’, vive totalmente aberto, sem segurança alguma. Já observei, por algumas vezes, gente suspeita entrando e saindo. Acredito que até o ponto de venda de drogas se tornou. Fico às vezes com medo de passar aqui à noite por falta de insegurança”, comentou Luiz Augusto. 

Já o vigilante, Claiton Rosa, de 36 anos, é morador do bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife, mas frequenta constantemente o bairro de Santo Amaro, no qual costuma caminhar em frente ao Palácio Frei Caneca. Ele acredita que com o prédio desativado, a edificação poderia ser uma alternativa para pessoas que sofrem com a falta de moradia na cidade.

“Já que aqui (Palácio) não funciona mais a vice-governadoria, o Governo poderia usá-lo como alternativa para solucionar o problema da falta de moradia. Muita gente não consegue pagar o aluguel, passa perrengue e vive morando na rua. Fico triste com essa situação, pois poderia aproveitar é dar casas para muita gente aqui”, destacou o vigilante.  
O vigilante Claiton Rosa, de 36 anos, apontou que o prédio póderia servir como alternativa de moradia para pessoas sem teto na cidade  (Rafael Vieira;DP)
O vigilante Claiton Rosa, de 36 anos, apontou que o prédio póderia servir como alternativa de moradia para pessoas sem teto na cidade (Rafael Vieira;DP)

Ele lamentou o destino do prédio que, para ele, era um dos mais bonitos da cidade. “Sempre passei por aqui e achava ele (Palácio) bem bonito. Agora tá todo pichado e vandalizado. Uma tristeza só”, lamentou.
Palácio Frei Caneca foi usado como sede da vice-governadoria até o ano de 2014, após a posse do ex-governador João Lyra, pai da atual governadora Raquel Lyra (PSDB) (Rafael Vieira/DP)
Palácio Frei Caneca foi usado como sede da vice-governadoria até o ano de 2014, após a posse do ex-governador João Lyra, pai da atual governadora Raquel Lyra (PSDB) (Rafael Vieira/DP)

O que diz o Governo

Procurada pela reportagem do Diario, a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Administração (SAD), informou que a execução do contrato de elaboração de projeto para a reforma estrutural da edificação está em andamento.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL