Diario de Pernambuco
Busca

Violência

Amigo de PM assassinado por comissário em briga por estacionamento desabafa: ''Me culpo por não ter conseguido salvar a vida dele''

Testemunha do crime contou como tudo aconteceu, no domingo (5), no Cordeiro, na Zona Oeste do Recife

Publicado em: 08/11/2023 15:28 | Atualizado em: 08/11/2023 15:47

Morte de PM reformado aconteceu em área de estacionamento no Cordeiro, no Recife (Foto: Wilson Maranhão/DP)
Morte de PM reformado aconteceu em área de estacionamento no Cordeiro, no Recife (Foto: Wilson Maranhão/DP)
“Eu tenho sentimento de culpa por não ter conseguido salvar a vida dele”. 
 
O desabafo é de um amigo do cabo reformado da PM Albino Ferreira Ferro Neto, assassinado por um comissário da Polícia Civil, em uma briga por causa da vaga de estacionamento, no Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, no domingo (5).
 
Nesta quarta (8), a testemunha ocular do crime, que preferiu não ter o nome revelado, conversou com a reportagem do Diario de Pernambuco e contou como foram os últimos momentos de vida do amigo. 
 
Segundo o homem, era para ser um dia de reencontro  para celebrar uma amizade que começou na faculdade, em 2001. Uma manhã destinada a um passeio na feira onde são vendidos pássaros. 
 
“Ele me ligou e me chamou para ir para a feira de pássaros. Eu nem queria ir, mas ele insistiu e a gente chegou bem cedo, de madrugada”, afirmou.
 
O amigo da vítima contou que o cabo reformado procurou um local para estacionar na área onde ficam barracas de feira. 
Como não havia espaço,  seguiu até as proximidades de um supermercado. 
 
“Tinha uma caminhonete saindo e ele esperou. O comissário foi mais rápido e entrou na vaga”, disse. 

De repente, contou o amigo, o PM reformado saiu do carro e começou a discutir com o policial civil. Em seguida, o cabo agrediu  o outro homem, dando uma tapa no rosto dele. 
 
Esse relato é condizente com as cenas registradas por câmeras de segurança do supermercado, que mostram a briga toda. 
 
O amigo do cabo que conversou com o Diario disse que aparece nas imagens. 
 
“De repente, eu escutei o tiro. Muito alto e forte. Parecia o estouro de um transformador de energia. Corri para ajudar meu amigo e ele dizia apenas que era um pai de família”, lembrou.

O amigo da vítima disse que não sabe o teor da discussão entre o autor do disparo e a vítima. 
 
Também contestou uma informação divulgada pela Polícia Civil, por nota, de que o comissário teria socorrido o cabo baleado. 

“Eu e outros homens levamos meu amigo para o Hospital Getúlio Vargas, que fica bem perto. Ela não disse nada no caminho. Já estava desmaiado”, declarou. 
 
Em seguida, o amigo lembrou que ligou para a esposa do cabo reformado para contra o que tinha acontecido. “Ela ficou chocada e disse que não sabia que a gente tinha ido para a feira”, acrescentou. 

O que diz a polícia

No dia do crime, a Secretaria de Defesa Social afirmou que policiais militares do 13 BPM foram acionados para uma ocorrência de tentativa de homicídio. 
 
O policiamento se dirigiu até a unidade hospitalar, onde foi informado que a vítima veio a óbito. "
 
A Polícia Civil ficará responsável pela investigação do caso", disse a SDS, em nota.
 
Dias depois, a Polícia Civil divulgou nova nota e disse que o policial civil de 64 anos ainda teria ajudado a socorrer a vítima.
 
A corporação também informou que ele e se apresentou espontaneamente à delegacia após o crime. 

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). 
 
Imagens
 
Um vídeo de uma câmera de videomonitoramento que circulou nas redes sociais registra o momento da discussão que resultou na morte do PM.
 
Nas imagens é possível ver que a vítima se direciona ao veículo do suspeito e inicia a discussão. 
 
Em determinado momento, o suspeito abre a porta e desce do veículo e ambos continuam discutindo e, em seguida, a vítima desfere uma tapa no rosto do suspeito. 

Nesse momento, há um princípio de briga com agressões físicas. O policial civil saca a arma e dispara contra o policial militar que cai no chão.
 
É visível que mesmo após balear a vítima, o suspeito continua discutindo com ela, sem sequer ser contido. 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL