Diario de Pernambuco
Busca

Mirabilandia

Vítima de acidente no Mirabilandia é levada para hospital particular

A professora Davine Muniz de 34 anos está no hospital São Marcos

Publicado em: 03/10/2023 17:58 | Atualizado em: 04/10/2023 09:17

A transferência foi feita após a Justiça determinar que o Mirabilandia tinha até 24h para deslocar a vítima do brinquedo (Foto: Sandy James/Esp. DP Foto)
A transferência foi feita após a Justiça determinar que o Mirabilandia tinha até 24h para deslocar a vítima do brinquedo (Foto: Sandy James/Esp. DP Foto)

A professora Dávine Leandro Muniz Cordeiro, de 34 anos, que foi arremessada do brinquedo "Wave Swinger" no Mirabilandia, foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Marcos, no bairro do Paissandu, na tarde desta terça-feira (3). 

Dávine estava na UTI do Hospital da Restauração desde o dia 22 de setembro, quando sofreu o acidente. Agora, a professora será atendida por uma equipe multidisciplinar composta por neurologistas e fisioterapeutas.

A transferência foi feita após a Justiça determinar que o Mirabilandia tinha até 24h para deslocar a vítima do brinquedo. Caso a transferência não fosse feita, o parque iria pagar uma multa diária de R$ 5 mil, limitada a R$ 100 mil.
 
 (Foto: Sandy James/Esp. DP Foto)
Foto: Sandy James/Esp. DP Foto

O pai de Dávine, José Leandro Cordeiro da Silva, disse estar mais aliviado agora que a filha está no Hospital São Marcos, e ressaltou que “aqui [no Hospital São Marcos], sei que aquele médico contratado pela empresa Mirabilandia não vai ter acesso como estava tendo no Hospital da Restauração. Peço para que ele sequer passe por aqui”. 
 

José Leandro acredita que a transferência de Dávine só foi possível após a determinação da Justiça e afirmou que ele e esposa,  Valéria Muniz, estão mais aliviados e agradeceu a equipe médica do HR.

 (Foto: Sandy James/Esp. DP Foto)
Foto: Sandy James/Esp. DP Foto
O primo da professora, Ricardo Lima, também se pronunciou e disse que está satisfeito com a transferência de Dávine. “Agora estamos felizes porque nós vimos que a justiça funcionou e, com isso, vamos ter o que tanto queríamos, que é a transferência dela e dar continuidade à recuperação”. 

 
Nesta segunda-feira (2), Dávine foi submetida a uma traqueostomia e os médicos começaram a tirar a sedação da paciente. O irmão de Dávine, Dustin Leandro, disse que ela tem reagido a estímulos externos e que já consegue mexer as pálpebras.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL