Diario de Pernambuco
Busca

Manifestação

Categorias de segurança pública de Pernambuco fazem protesto no Recife

Representantes se mobilizam para cobrar ações ao governo do estado

Publicado em: 26/10/2023 17:19 | Atualizado em: 26/10/2023 22:55

Policiais penais se mobilizaram para fazer cobranças ao governo  (Foto: Sandy James/DP)
Policiais penais se mobilizaram para fazer cobranças ao governo (Foto: Sandy James/DP)
Associações e sindicatos que representam os agentes de segurança pública no estado realizaram, na tarde desta quinta (26), uma manifestação no Centro do Recife.
 
As entidades cobram do Governo do Estado um canal de negociação para tratar de uma série de pautas reivindicadas pelas categorias.  

Os manifestantes se reuniram na Praça do Derby, na área Central do Recife.
 
Até as 17h30, eles seguiam em caminhada até o sede do Poder Executivo, o Palácio do Campo das Princesas, no bairro de Santo Antônio. 

O ato foi organizado pelo Fórum dos Servidores dos Profissionais de Segurança Pública, composto por várias categorias: APOC-PE, SINPOL-PE, Adeppe, Uneppe, Acomp, Aspappe, Apemepe, Apoc, Apemol, SinpoCrim, ACS, Aspra e Sinpolpen.

Também participam entidades e associações que representam policiais militares e concursados da Polícia Civil que ainda não foram chamados para exercer os cargos. 

De acordo com o presidente do Sinpolpen, João Carvalho, o objetivo da da manifestação é chamar a atenção da governadora Raquel Lyra (PSDB), para que ela abra o canal de diálogo com as categorias que, segundo ele, não vem acontecendo. 
 
As categorias foram recebidas na Secretaria de Administração pelo Assessor Técnico Especial de Política de Pessoal, que informou que na segunda-feira, 30 de outubro, o governo irá dar uma respostas para as pautas das categorias. O Fórum dos Servidores da Segurança Pública também já marcou uma Assembleia Geral Conjunta no dia 7 de novembro para definir quais os próximos passos a serem tomados.
 
“A Associação de Polícia Científica de Pernambuco está aqui presente nesse ato importantíssimo promovido pelo Fórum de Segurança Pública onde todas as instituições se fizeram presentes. É muito importante a gente chamar a atenção do governo pela situação periclitante que a gente está vendo e que é o que agrava ainda mais o déficit de profissionais dentro dessa área que é tão importante. É sempre bom a gente ressaltar a importância da prova material pra que a justiça consiga se concretizar. E hoje a gente tem situações de investimentos do Governo Federal, como o nosso banco balístico, por exemplo, sem pessoal pra operar, sem a capacidade de ajudar a resolver e a diminuir o número de homicídios no nosso estado. Então é uma situação crítica, é uma situação difícil e a gente espera que com esse movimento o governo nos ouça e nos responda. E que interrompa esse ciclo de silêncio e de ignorar essas classes tão importantes como a gente vem vendo aí nos últimos meses”, disse Camila Reis Baleeiro, presidente da Associação de Polícia Científica de Pernambuco (APOC-PE).

Concursados da PM também participaram da manifestação  (Foto: Sandy James/DP)
Concursados da PM também participaram da manifestação (Foto: Sandy James/DP)
“Temos um conjunto de pauta de reivindicação para apresentar ao governo, As principais são a valorização dos agentes da força de segurança do estado, além do Plano de Cargos e Carreiras de todas as categorias. Além disso, a questão de melhores condições de trabalho. É necessário que o governo abra esse canal de diálogo com as categorias”, destacou o sindicalista.

Ainda de acordo com ele, o estado tem os piores salários de categorias da segurança pública no País.
 
Carvalho cobra providências do Poder Executivo.
 
“Pernambuco hoje tem um dos piores salários do Brasil para os policiais. E em relação aos policiais penas, tem o pior salário do Brasil. Pretendemos ser atendidos e entregar a nossa carta de reivindicações. Caso contrário, até o final do mês, se o governo não abrir o canal de negociação, vamos convocar as assembléias  e não descartamos possíveis paralisações e entrega de plantões das forças”, disse.
  
Perto das 19h uma comissão com cinco representantes da Sinpolpen, Sinpol, Associação dos Delegados e o deputado Joel da Harpa foram recebidos no Palácio do Campo das Princesas.
 
Ao final do encontro, coordenado pelo secretário-executivo da Casa Civil, Igor Cadena, o governo do estado informou, por meio de nota, que vem tratando das demandas do funcionalismo público no âmbito da Mesa Geral de Negociação Coletiva Permanente, da qual participam os secretários e os representantes dos sindicatos dos trabalhadores.
 
Ainda segundo a nota, a 5ª rodada da Mesa de Negociação acontecerá na próxima segunda-feira (30). 
 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL