Diario de Pernambuco
Busca

Cortou a tela

Menina que caiu de sétimo andar de prédio tem alta do hospital após 15 dias

Informação foi divulgada nesta quarta (18) pelo Hospital da Restauração (HR)

Publicado em: 18/10/2023 11:33

Ambulâncias socorreram criança que caiu de prédio em Jaboatão  (Foto: Reprodução/Redes Sociais )
Ambulâncias socorreram criança que caiu de prédio em Jaboatão (Foto: Reprodução/Redes Sociais )
A menina de 7 anos que caiu do sétimo andar de um prédio, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, no dia 3 de outubro, teve alta médica, nesta quarta (18). 

A informação foi divulgada pela assessoria de comunicação do Hospital da Restauração (HR), no Derby, na área central do Recife, onde ela ficou internada durante 15 dias. 

Por nota, o HR disse que a garota deu entrada com politrauma na Emergência Pediátrica. 

“Durante o internamento, a paciente foi assistida por equipe multiprofissional da pediatria e passou por exames clínicos e de imagem, além de realizar procedimento cirúrgico”, informou.

A garota, que não teve nome divulgado oficialmente, sofreu perfurações no fígado e pulmão e quebrou a clavícula. 

No momento da queda, ela estava sozinha no apartamento em que mora com a mãe.

A mulher foi autuada em flagrante pela Polícia Civil por abandono de incapaz.

Caso a mãe seja julgada e condenada, poderá pegar penas que vão de detenção de seis meses a três anos e de reclusão de um ano a doze anos, dependendo das consequências resultantes do abandono. 
 
Segundo informações da perícia, a menina estava, de fato, sozinha quando caiu.
 
Ela teria usado uma tesoura para cortar a tela da varanda.  Diante disso, os peritos  apontaram que a queda teria sido acidental. 
 
“A vítima, uma criança de 7 anos, teria caído do sétimo andar de um prédio, após ter cortado a tela de proteção”, afirmou a polícia. 

A defesa da mãe da menina contestou a decisão da Polícia Civil de autuar a mulher por abandono de incapaz. 
 
Em entrevista ao Diario de Pernambuco, a advogada Fabianne Barbosa disse que a mulher, de 31 anos, cujo nome não foi divulgado, nunca teve o hábito de sair e deixar a filha sozinha em casa. 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL