Diario de Pernambuco
Busca

Justiça

Começa nesta terça julgamento de filho de médico achado esquartejado em Aldeia

Danilo Paes é réu pela morte de Denirsson Paes, em 2018. Viúva já foi condenada

Publicado em: 24/10/2023 07:59 | Atualizado em: 24/10/2023 08:13

Começa nesta terça (24), em Camaragibe, no Grande Recife, o julgamento do filho do médico que foi assassinado e esquartejado em Aldeia. 

O júri popular tem início às 9h, no fórum da cidade. 

Danilo Paes Rodrigues é réu pelo homicídio do próprio pai, Denirson Paes. O crime aconteceu em 2018.  

A mãe de Danilo, Jussara Rodrigues  foi condenada a 19 anos e oito meses de cadeia e está presa.  O julgamento dela aconteceu em 2019. 

Segundo o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), o julgamento deve se estender até o dia 27. 

A magistrada que vai presidir o julgamento é a juíza de Direito Marilia Falcone Gomes Lócio, responsável pela 1ª Vara Criminal do município.

O corpo de Denirson foi achado esquartejado dentro de um poço em um condomínio de luxo de Aldeia, em Camaragibe, em 4 de julho de 2018. O cadáver tinha partes carbonizadas e foi achado dentro de um poço.
 
Histórico 

Em julho de 2018, após indícios da participação de Danilo e de Jussara no assassinato e na ocultação do corpo de Denirson Paes, os dois foram presos.
 
Danilo foi beneficiado com habeas corpus,  em, dezembro do mesmo ano. 
 
O laudo da reconstituição realizada na casa do cardiologista, no dia 14 de setembro de 2018, concluiu que Jussara, mãe de Danilo, não seria a única responsável pela morte do marido.
 
A mulher teria contado com a ajuda de uma segunda pessoa que, de acordo com a acusação, seria o engenheiro Danilo Paes, filho mais velho do casal. 
 

Denúncia
 
Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o filho teria auxiliado a mãe e esposa do médico, Jussara Rodrigues da Silva, na prática dos crimes de homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, com emprego de meio cruel, e cometido à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação, ou outro recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima) e ocultação do corpo da vítima.
 
Etapas
 
A sessão do júri terá início com a seleção de sete jurados entre 25 voluntários convocados.
 
Em seguida, ocorrerá o depoimento de cinco testemunhas de acusação indicadas pelo MPPE e depoimentos de cinco testemunhas de defesa indicados pelos advogados do réu.
 
Concluída essa fase, o réu será interrogado em plenário. Depois disso, teremos a fase de debates entre a acusação e a defesa. Primeiro o MPPE expõe sua tese em 1h30.
 
Depois a Defesa apresenta sua tese no mesmo período. Se houver réplica do Ministério e tréplica da Defesa, ambos têm mais 1 hora para falar no plenário.
 
Encerrada a fase de debate, a magistrada se reunirá com o conselho de sentença, formado pelos sete jurados, em uma sala secreta, para decidir se o réu é culpado ou inocente das acusações. Em seguida, a juíza voltará para o plenário para ler a sentença.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL