Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Cultura

Projeto de formação profissional na cadeia da cultura para jovens em vulnerabilidade social será lançado no Paço do Frevo

Publicado em: 22/06/2022 16:38

 (Foto: Divulgação.)
Foto: Divulgação.
A cultura é um eixo crucial para o desenvolvimento da sociedade, tanto por seu papel na formação da identidade e dos afetos em níveis individuais e coletivos quanto por sua capacidade de fomentar a economia. Só em 2021, o setor cultural foi responsável por movimentar 170 bilhões de reais, o equivalente a 2,5% do PIB nacional, segundo dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Diante desse cenário, incentivar a formação da cadeia produtiva da área, viabilizando oportunidades para o ingresso no mercado de trabalho, é essencial. A partir do entendimento dessa necessidade, foi concebido o projeto piloto Aprendiz Com.Direitos - Cultura, voltado para jovens em situação de vulnerabilidade social, que será lançado no dia 29 de junho, às 15h, no Paço do Frevo, com a presença dos 31 participantes. 

Junto à Fundação de Cultura Cidade do Recife e à Secretaria de Cultura do Recife e em parceria com o Instituto Aliança, idealizador da iniciativa, e com a Escola Dom Bosco, o museu encabeça uma iniciativa que, ao longo de 22 meses, irá capacitar jovens entre 16  e 19 anos em vários setores do campo da cultura, com passagens por áreas como educação, administrativo, comunicação, produção cultural, radiotécnica, pesquisa, documentação.

“Estamos muito felizes em participar de forma estratégica do projeto. O Paço vem investindo fortemente na relação da juventude e sua profissionalização para a cadeia produtiva do Frevo. Foi assim quando formamos mais de 2 mil jovens do Grande Recife em ações voltadas para a Economia Criativa através do projeto Paço Criativo, em parceria com a OEI (Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura). A economia da cultura do Frevo é um dos eixos de atuação do Plano de Salvaguarda e, neste ano em que o Frevo comemora 10 anos do título de patrimônio da humanidade, é mais que oportuno que revisitemos e ampliemos a função social do Centro de Salvaguarda do Frevo - o Paço”, enfatiza Luciana Félix, diretora do Paço do Frevo.

Com base na Lei do Aprendiz Legal (Nº 10.097/2000), que implementa a presença de jovens entre 14 e 24 anos em empresas de médio e grande porte, visando garantir os primeiros passos dentro do mercado de trabalho, com foco na formação, o Aprendiz Com.Direitos - Cultura vai oportunizar a formação profissional e a inclusão socioeconômica a 31 adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco de trabalho infantil. Eles poderão ter uma vivência aprofundada em instituições de promoção de cultura, entre elas o Paço do Frevo, museu que acolherá 12 jovens mulheres desse total.

Para elaborar a iniciativa, a Escola Dom Bosco, referência na oferta de aprendizagem profissional e entidade formadora parceira do projeto, e o Instituto Aliança, parceiro implementador da Freedom Fund para a inserção laboral de adolescentes, contaram com a aprovação da Secretaria de Políticas Públicas de Trabalho e Emprego (SPPE), órgão regulador de aprendizagem profissional no Ministério do Trabalho e Previdência (MTP), e da Superintendência Regional do Trabalho (SRTb-PE).

“É um projeto inédito em Pernambuco. Estamos trabalhando com público de alta vulnerabilidade social e a expectativa é que esses jovens possam se encontrar nesse espaço. Estamos buscando desenvolver as habilidades dos jovens na área da cultura, para que atuem não só no espaço do Paço do Frevo, mas que possam crescer na área de cultura em geral. A cultura está no sangue do recifense e queremos estimular que esses jovens transformem suas realidades, assim como as de suas famílias e vizinhos. É um efeito de rede, pois eles passam a ser influenciadores”, aponta Simone Brasil, auditora-fiscal do Trabalho, responsável pelo Termo de Compromisso para a contratação dos jovens.

TEORIA E PRÁTICA - O início das atividades no Paço do Frevo marca um novo momento na trajetória desses jovens, que anteriormente dedicaram-se à parte exclusivamente teórica do Programa de Aprendizagem na Escola Dom Bosco. “A Escola Dom Bosco Recife reafirma o seu compromisso em promover vidas juvenis através da qualificação profissional e habilidades para a vida com competências socioemocionais, sendo hoje a primeira instituição em Pernambuco a desenvolver o curso de aprendizagem na área da cultura, priorizando adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade. O curso tem como justificativa a necessidade de formação de mão de obra qualificada para ocupar espaços ligados à cultura. Ter direitos trabalhistas respeitados e garantidos significa para os atendidos dignidade e melhoria da condição socioeconômica e produtiva”, diz Jaqueline de Oliveira, coordenadora de Aprendizagem da Escola Dom Bosco.

Agora, poderão também vivenciar as atividades práticas nos equipamentos públicos promotores de arte e cultura, com acompanhamento e trocas com os profissionais desses espaços. No Paço, todas as jovens passarão, ao longo de 22 meses, pelas áreas de educação, atendimento, pesquisa, documentação, produção, desenvolvimento institucional e administrativo.

“Em geral, as empresas cumprem a Lei do Aprendiz Legal alocando jovens nas áreas da indústria, administração ou vendas. Não existiam programas para encaminhá-los para o campo da cultura, então há um pioneirismo dessa iniciativa. No Paço, essas participantes terão contato com a prática profissional em todas as áreas do museu, de modo que possam ter uma formação multidisciplinar nas várias áreas da vivência de um equipamento cultural”, pontua Carlos Lima, coordenador de Educação do Paço do Frevo.

O investimento em formação e profissionalização da comunidade do Frevo acontece como uma ação de caráter contínuo no Paço. O museu abriga a Escola Paço do Frevo, voltada para profissionais da dança, música, patrimônio, moda e de outras linguagens, promovendo atividades constantes de discussão e preservação das matrizes do Frevo e da cultura popular, entre outras ações.

PAÇO DO FREVO - O Paço do Frevo é reconhecido pelo IPHAN como centro de referência em ações, projetos, transmissão, salvaguarda e valorização de uma das principais tradições culturais do Brasil, o Frevo. Patrimônio imaterial pela UNESCO e pelo IPHAN, o Frevo é um convite à celebração da vida, por meio da ativação de memórias, personalidades e linguagens artísticas, que no Paço do Frevo encontram seu lugar máximo de expressão, na manutenção de ações de difusão, pesquisa e formação de profissionais nas áreas da dança e da música, dos adereços e das agremiações do Frevo.

O Paço do Frevo é uma iniciativa da Fundação Roberto Marinho, com realização da Prefeitura do Recife, por meio da Fundação de Cultura da Cidade do Recife e da Secretaria Municipal de Cultura, e gestão do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG).  Por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o patrocínio master do Instituto Cultural Vale, o papel de mantenedor do Grupo Ultra, patrocínio da RedeCard Itaú e da White Martins. Conta com o apoio do Grupo Globo, Pernambucanas e Chevrolet Serviços Financeiros,  e o apoio cultural do Itaú Cultural e do Porto de Suape.
 

SERVIÇO

Lançamento do projeto “Aprendiz Com.Direitos - Cultura”
Quando: 29 de junho, às 15h 
Local: no terceiro andar do museu
Gratuito

Paço do Frevo - Praça do Arsenal da Marinha, s/n, Bairro do Recife
Horários: Terça a sexta, 10h às 17h | Sábado e domingo, 11h às 18h
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia) - entrada gratuita às terças-feiras

Obrigatória a apresentação do comprovante de vacinação contra a Covid-19.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Nova presidente da Caixa toma posse e anuncia primeiras medidas
Manhã na Clube: entrevista com o ex-ministro e pré-candidato ao senado, Gilson Machado
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Grupo Diario de Pernambuco