Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

LEI

Prefeitura de Caruaru doa terreno para Polícia Militar construir colégio na cidade

Publicado em: 17/06/2022 17:22 | Atualizado em: 17/06/2022 20:00

Reunião aconteceu na sala de monitoramento da prefeitura e se encerrou no início da tarde  (Rafael Vieira/DP Foto)
Reunião aconteceu na sala de monitoramento da prefeitura e se encerrou no início da tarde (Rafael Vieira/DP Foto)

O prefeito de Caruaru, Rodrigo Pinheiro (PSDB), sancionou nesta sexta-feira (17) a lei de número 6.886, que autoriza a doação de um terreno da cidade para a Polícia Militar construir mais uma unidade do seu tradicional colégio. Ainda não há uma previsão de quando ocorrerá a inauguração. O novo espaço funcionará como um segundo anexo, já que a sede principal fica no Recife, no bairro da Boa Vista, e o primeiro anexo, fundado em 2011, na cidade de Petrolina.

 

O terreno doado pela prefeitura fica na Avenida das Nações, no bairro de Nova Caruaru, numa distância de 150 metros da BR 104. Ele tem 38 mil e 340 metros quadrados, o que dá aproximadamente a medida de quatro hectares.

 

A assinatura da sanção da lei aconteceu ao fim da solenidade, no prédio da prefeitura, e estará disponível no Diário Oficial ainda nesta sexta.

  

Ao lado do prefeito, estiveram na reunião o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE) e deputado estadual (PSB), Eriberto Medeiros; o secretário da Autarquia de Urbanização e Meio Ambiente (URB), Francisco Batista; o presidente da Câmara Municipal de Caruaru, Bruno Lambreta; o coronel da Secretaria de Ordem Pública (SECOP), Patrício Filho; o presidente do Comando Geral da Polícia Militar de Pernambuco, coronel Armando Costa e a tenente e diretoria do colégio da Polícia Militar, Cristiane Moura. Além disso, também participaram do momento vereadores e secretários.

 

Minutos depois de assinar a sanção, o prefeito Rodrigo Pinheiro ressaltou que a construção da unidade de ensino na cidade já era aguardada, e relembrou os trâmites do processo.

 

O prefeito Rodrigo Pinheiro citou que o terreno doado está geograficamente localizado em uma área nobre da cidade (Rafael Vieira/DP Foto)
O prefeito Rodrigo Pinheiro citou que o terreno doado está geograficamente localizado em uma área nobre da cidade (Rafael Vieira/DP Foto)
 

 

"A necessidade da instalação de um Colégio Militar aqui em Caruaru já vem de algum tempo. Inicialmente, entendeu-se que nossa cidade, por ser estrategicamente localizada, seria importante essa implantação. A prefeitura foi procurada e conseguimos entregar um terreno adequado, bem localizado e numa área nobre. Com isso, enviamos ao cartório para a documentação ser regularizada e encaminhamos à Câmara, em regime de urgência, que votou em unanimidade", afirmou o político.

 

O presidente da ALEPE, Eriberto Medeiros, reforçou a expectativa que existia em torno da chegada do colégio, e garantiu que a causa foi "abraçada" pelas autoridades, inclusive pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara. 

 

Eriberto Medeiros frisou o trabalho de prestação de serviço de policiais e bombeiros militares no dia a dia (Rafael Vieira/DP Foto)
Eriberto Medeiros frisou o trabalho de prestação de serviço de policiais e bombeiros militares no dia a dia (Rafael Vieira/DP Foto)
 

 

"Existia um anseio de toda a sociedade, principalmente da Polícia Militar, para ofertar isso. Na nossa visita institucional à Polícia Militar, tomei conhecimento de que já era uma luta de várias pessoas que buscavam esse colégio, e fomos mais um a incorporar essa luta e conversar com o governador, que de imediato se sensibilizou, autorizou o avanço  das conversas que tivemos com os representantes da Polícia Militar, com o secretário de Educação de Pernambuco, Marcelo Barros, com o prefeito Rodrigo Pinheiro, e também com o presidente da Câmara Municipal de Caruaru, Bruno Lambreta. Ali surgiu a definição desse avanço até se concretizar nesse momento", disse Eriberto.

 

Ele ainda destacou o papel de prestação de serviço ao qual policiais e bombeiros são submetidos diariamente, classificando a possibilidade de incluir o colégio nessa rotina como uma forma de "tranquilizar" os agentes que também têm responsabilidades com seus filhos e filhas.

 

"Os policiais e bombeiros, profissionais da segurança pública, na hora que saem das suas casas, arriscam suas vidas para cuidar da população quando vestem a farda, que eles têm como segunda pele. Eles deixam suas famílias em casa e vão às ruas cuidar da vida e do patrimônio da sociedade pernambucana, e agora terão a oportunidade de deixar seus filhos num local de ensino de qualidade e a segurança necessária para terem tranquilidade de estarem nas ruas", projetou.

 

A tenente e atual diretora do Colégio da Polícia Militar, Cristiane Moura, faz parte do grupo de ex-alunos da instituição. Ela iniciou seu processo de formação por lá aos sete anos de idade. E agora, vivendo "o outro lado" da história, se sente privilegiada.

 

"É um privilégio muito grande. Enquanto aluna, eu nunca imaginei chegar a ser comandante e diretoria do colégio, então digo que foi um presente de Deus. Quando chego no colégio e fico vendo toda a estrutura e os alunos, lembro da minha história, dos professores que tive e da minha formação", rememorou.

 

A tenente concluiu o Ensino Médio na academia do Recife, mas a sua chegada foi o marco mais importante enquanto esteve lá, uma vez que integrou o grupo das estudantes que fizeram parte da primeira turma feminina do colégio. "Na época, quando eu tinha sete anos e fiz o concurso, não tinha ideia do contexto. Só tinham meninos, e hoje vejo o quanto foi primordial na minha vida e das minhas amigas, que hoje são advogadas, dentistas, oficiais... todas seguiram seus sonhos", disse Cristiane, bastante emocionada.

 

Estudantes 

Majoritariamente, o quadro de estudantes do Colégio da Polícia Militar é composto por filhos e filhas de policiais e bombeiros militares. No entanto, o atual regimento da instituição diz que 15% das vagas devem ser destinadas à sociedade civil, mediante processo de seleção.

 

Lei Nº 6.886, de 17 de junho de 2022

"Desafeta bem imóvel do patrimônio público municipal e autoriza sua doação ao Estado de Pernambuco". 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Grupo Diario de Pernambuco