Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

ÍNDICE

Pernambuco atinge menor índice de roubos dos últimos 9 anos

Publicado em: 15/06/2022 16:43

 (Foto: Reprodução/Freepik )
Foto: Reprodução/Freepik

O total de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP) nos primeiros cinco meses de 2022 é o mais baixo desde 2013. Os tipos de roubo que mais recuaram foram as investidas a bancos, pelo segundo mês seguido sem nenhum caso, e os assaltos a ônibus. A Região Metropolitana do Recife teve a maior retração de crimes patrimoniais

Pernambuco fechou o balanço dos cinco primeiros meses de 2022 com o menor índice de roubos dos últimos nove anos. Entre janeiro e maio deste ano, as delegacias de Polícia Civil registraram 21.156 boletins de ocorrência referentes a Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs). Na linha do tempo do Pacto pela Vida, só ficou acima das estatísticas de 2013, por uma diferença de 25 casos (confira, no final do texto, a série histórica). Na comparação com 2021, ano de menor taxa de roubos por 100 mil habitantes de Pernambuco, 2022 apresentou queda de 3,1% no conjunto dos cinco meses, o que significou, em números absolutos, 682 delitos a menos.  

O recuo dos roubos este ano se deu de maneira mais expressiva na Região Metropolitana (RMR), com -9%. De janeiro a maio de 2022, essa área notificou 6.555 CVPs, enquanto em 2021, nesse ínterim, foram 7.202. A Zona da Mata baixou 8% (de 1.843 para 1.695), e o Agreste ficou com -0,1% (de 3.994 para 3.990). No Sertão, houve oscilação de 0,56%, pois os municípios sertanejos tiveram 1.256 roubos nos últimos cinco meses, e em 2021 haviam sido sete casos a menos.

Especificamente em maio, a queda dos CVPs no Estado foi de 4,5%, saindo de 4.377 em 2021 para 4.178 em 2022, ou seja, menos 199 crimes de um ano para o outro. A Zona da Mata computou a maior redução no quinto mês do ano quando comparado a 2021, com -12,91% (de 364 para 317). Em seguida, vem a RMR, com -9,66% (de 1.418 para 1.281). O Sertão variou em 2,77% (de 253 para 260) e o Agreste, 4,44% (de 765 para 799).

“Um dos destaques nessa diminuição dos CVPs é o significativo recuo dos roubos a bancos, que desafiaram a segurança pública, especialmente no ano de 2017. Desde o dia 2 de março não há nenhum delito consumado contra instituições financeiras. No ano, a retração foi de 67%. Isso se deve ao trabalho contínuo e consistente de planejamento no dia a dia e na reavaliação cotidiana do Pacto pela Vida. Essas ações conjuntas, somadas ao reforço de profissionais recém-formados nas quatro operativas da SDS, fizeram os crimes patrimoniais caírem em relação a 2021, ano de menor taxa de roubos de toda a série histórica de estatísticas criminais do Estado. Importante ressaltar que não estamos tratando apenas de números, mas de menos pessoas vitimadas pela violência, deixando de sofrer investidas nas ruas, em seu deslocamento para o trabalho, escola, em momentos de lazer, em suas residências. Sabemos que ainda temos um quantitativo elevado, mas promover a paz social motiva bastante os policiais, trabalhadores da segurança pública e demais profissionais integrados no pacto”, pontuou Humberto Freire, secretário de Defesa Social.

 

Nenhum roubo a banco nos últimos meses

Se em maio do ano passado ocorreram dois roubos a agências bancárias, no quinto mês de 2022 não foi registrado nenhum. De fato, desde 2 de março, quando houve um furto a banco, não se consuma nenhum crime contra instituições financeiras no Estado. Analisando os cinco meses iniciais deste ano, verificaram-se dois furtos a banco, queda de 67% em relação ao mesmo período de 2021, marcado por seis ocorrências contra o patrimônio de instituições financeiras (cinco agências bancárias e um caixa eletrônico).

Esse tipo de crime demonstra uma queda acentuada desde 2017, quando a SDS implantou a Força-Tarefa Bancos. A iniciativa une as forças policiais de Pernambuco às Polícias Federal e Rodoviária Federal, ao Exército e às instituições financeiras, com a deflagração de operações nos corredores bancários e o estabelecimento de protocolos internos de segurança. Com isso, as forças de segurança enfraquecem as organizações criminosas que buscam nessa prática criminosa uma forma de financiar suas atividades.

Assalto a ônibus segue em queda

 Outro crime contra o patrimônio que vem sendo confrontado diuturnamente por uma força-tarefa da segurança pública é o roubo ao transporte coletivo. Em maio último, Pernambuco teve 36 ocorrências e alcançou baixa de 23,4% em comparação com as 47 de maio de 2021. Considerando o conjunto de cinco meses, a diferença é de -10,38%, reduzindo de 260 para 233 ocorrências.

Além das Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, a FT Coletivos reúne o Grande Recife Consórcio de Transporte e empresas de transporte coletivo. A partir dessa mobilização, o policiamento nos principais corredores viários vem sendo intensificado, com reforço operacional nos locais com maior índice de ocorrências. A população pode colaborar fazendo denúncias ao Whatsapp Coletivos, da SDS, pelo telefone (81) 99488-7091.

 

Força-tarefa freia roubo de carga

 Criada pela SDS em 2018 para traçar estratégias de inteligência no enfrentamento aos crimes que visam cargas de mercadorias, a FT Cargas tem demonstrado resultados na repressão de quadrilhas especializadas. Somente no mês passado, com 27 queixas, a queda foi de 23% na comparação com maio de 2021 (35 casos). De janeiro a maio deste ano, essa modalidade criminosa diminuiu 9,2% no confronto com 2021, ao cair de 153 para 139 ocorrências. A FT Cargas integra as Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal no combate a esse tipo de CVP.

 

Forças de segurança empenhadas para reduzir cvlis

 Maio de 2022 apresentou aumento de 4,79% nos homicídios em Pernambuco, quando comparado ao quinto mês de 2021: passou de 292 para 306 vítimas. No acumulado desde janeiro, a alteração foi de 11,30%, saindo de 1.425 (2021) para 1.586 (2022). As forças de segurança estão focadas em reverter esse cenário, intensificando operações de repressão qualificada ao CVLI em todo o Estado. Somente nos primeiros cinco meses de 2022, as polícias de Pernambuco prenderam 717 homicidas, dos quais 185 foram capturados em maio.

Apesar da curva ascendente no Estado, o Agreste teve cenário favorável entre as regiões em maio. Seus municípios reduziram os homicídios em 18,99%: 64 vítimas em maio de 2022, contra 79 nesse mês em 2021. Já na Região Metropolitana, exceto a capital, houve uma subida de 3,70% (de 81 para 84). No Recife, verificou-se um crescimento de 9,09% (de 44 para 48). A Zona da Mata teve alta de 20% (de 55 para 66), e o Sertão chegou a 33,33% (de 33 para 44 vítimas).

No intervalo entre janeiro e maio de 2022, os homicídios no Recife diminuíram. Foram 249 vítimas, ou -1,58% em comparação com as 253 mortes de 2021. A Zona da Mata elevou o índice em 6,74% (de 282 para 301), enquanto o Sertão subiu 9,77% (de 174 para 191). Na RMR, houve alta de 403 para 467 vítimas, ou 15,88%. Por fim, o Agreste passou de 313 para 378 mortes (20,77%).

“Estamos observando que, em relação ao começo do ano, especialmente de março para cá, há um desaquecimento dos homicídios e aproximação entre as estatísticas de 2022 e de 2021. Estamos monitorando com muita atenção a resolução dos inquéritos de CVLIs, uma prioridade do Pacto pela Vida, e constatando o aumento progressivo dessa taxa. Quando elucidamos autoria e encaminhamos os responsáveis ao sistema de justiça criminal, a retração dos crimes contra a vida é automática. Vale ressaltar que o fortalecimento das investigações vem acompanhado do reforço de policiamento ostensivo. Neste mês de junho, estamos incrementando o efetivo da Polícia Militar com 500 soldados, em fase de conclusão do curso de formação, além de oficiais da PMPE e CBMPE que também estão finalizando suas academias. Ainda neste segundo semestre, o Governo de Pernambuco lançará novos editais de concursos, com o objetivo de contratar profissionais para as quatro forças de segurança estaduais”, informou Humberto Freire. 

 

Menos feminicídios, violência doméstica e estupros

 De janeiro a maio deste ano, os casos de feminicídio retraíram 26,1% quando comparados com o mesmo intervalo do ano passado. Em números absolutos, a diminuição foi de 46 para 34 vítimas. Quanto à violência doméstica, as mulheres procuraram menos as delegacias de Polícia Civil de Pernambuco para relatar ocorrências nesse período. Ao todo, 16.614 vítimas desse tipo de crime prestaram queixa nos cinco meses iniciais de 2022, o que corresponde a -3,68% das 17.249 vítimas de 2021. Ao analisar apenas os dados de maio, a busca das mulheres por registrar a ocorrência de violência doméstica cresceu 17,06%: passou de 3.054 casos em 2021 para 3.575 em 2022. Já o número de vítimas de estupro no Estado recuou tanto em maio como nos cinco meses de 2022. O maior percentual de redução foi o de maio deste ano, com -36,09% em relação ao seu equivalente do ano passado, pois o total caiu de 230 para 147. Já no acumulado dos cinco meses, a diferença chegou a -16,41%, ao baixar de 1.109 vítimas em 2021 para 927 no atual ano.

 

Série histórica de CVPS de janeiro a maio

2013 - 21.131

2014 - 26.630

2015 - 32.480

2016 - 44.988

2017 - 53.630

2018 - 42.193

2019 - 35.807

2020 - 24.926

2021 - 21.838

2022 - 21.156

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Toalhas de Lula e Bolsonaro movimentam o comércio e dão o tom das eleições
Desemprego cai a 9,8% entre março e maio no Brasil
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado federal Daniel Coelho e com a Dra. Magda Maruza
Grupo Diario de Pernambuco