Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

TECNOLOGIA

UFPE investe em robótica, um mercado em crescente aquecimento no Brasil e no mundo

Publicado em: 12/05/2022 12:23

Iniciativas abrangem pesquisa e desenvolvimento de soluções que atendem o mercado de tecnologia, o poder público e a sociedade civil
 (Divulgação)
Iniciativas abrangem pesquisa e desenvolvimento de soluções que atendem o mercado de tecnologia, o poder público e a sociedade civil (Divulgação)
Em uma sociedade cada vez mais informatizada e apoiada na tecnologia, os robôs são presenças constantes em nossas vidas, mesmo quando não nos damos conta. Acompanhando a tendência global de aplicação da robótica nas mais diversas áreas da vida social, o Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) vem investindo fortemente no setor ao longo dos últimos anos, através de iniciativas que vão desde grupos de pesquisa até a realização de cursos de pós-graduação com foco na área. De acordo com o Robotics Outlook, o mercado de robótica pode chegar a um faturamento mundial de cerca de US$ 260 bilhões em 2030.

Um dos projetos de destaque desenvolvidos no Centro é o RobôCin, grupo criado em 2015 e que conta com uma equipe formada por alunos de graduação, pós-graduação e professores. O time atua nas áreas de pesquisa e desenvolvimento, além de participar de competições nacionais e internacionais, como a RoboCup, IRONCup e LARC, utilizando conhecimentos em Inteligência Artificial, Visão Computacional, Mecânica e Eletrônica aplicada à Robótica. A equipe é auxiliada pelos professores Edna Barros, Hansenclever Bassani e Tsang Ing Ren.

Com a chegada da pandemia da Covid-19, entrou em cena um outro projeto desenvolvido por pesquisadores do CIn-UFPE, o robô Aurora 2.0. O dispositivo foi projetado para realizar a esterilização microbiológica de ambientes, utilizando Inteligência Artificial (IA) e radiação ultravioleta. A iniciativa foi coordenada pelo professor Leandro Almeida e contou com a parceria do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e do Centro Regional de Energias Nucleares do Nordeste (CRCN-NE).

E desde 2019, o convênio entre o CIn-UFPE e a Motorola Mobility vem investindo na área de robótica para auxiliar na automação dos testes dos celulares Motorola. Sob coordenação dos professores Juliano Iyoda, Augusto Sampaio, Alexandre Mota e Hermano Perrelli, esta iniciativa vem atuando em operação real e pesquisa, colaborando com o site da Motorola de Chicago.

Soluções em robótica são desenvolvidas ainda pelo Voxar Labs, laboratório de pesquisa em Realidade Virtual e Aumentada, coordenado pela professora Veronica Teichrieb; pelo Laboratório de Inovação Veicular (LIVE), que atua no desenvolvimento de soluções veiculares inovadoras utilizando tecnologias de ponta, coordenado pelo professor Abel, e a iniciativa de criação de um robô humanoide, liderada pelos professores Aluízio Araújo e Hansenclever Bassani.

Uma outra iniciativa provém do INES (Instituto Nacional para Engenharia de Software) e envolve ampla colaboração nacional (CIn-UFPE, LIKA-UFPE, UFRPE  e UFRN) e internacional (York University, ClearSy, East China Normal University, e University College of London) no desenvolvimento rigoroso de aplicações robóticas para cidades inteligentes, pesquisando sobre o projeto, simulação, verificação e implementação destas várias aplicações.
 
Como destaque, RoboTIC@ tornou-se parte do consórcio RoboStar, tendo alcançado grande visibilidade internacional. O fluxo de desenvolvimento de um projeto típico é iniciado com um modelo reativo da plataforma robótica e do controlador de software na linguagem de modelagem RoboChart, a partir da qual é gerado um modelo de simulação na linguagem RoboSim. Na sequência, o modelo de simulação pode ser traduzido para várias plataformas destino: Arduino, plataforma Clearsy, Simulink/Stateflow e UPPAAL. Também são considerados modelos probabilísticos, modelagem do ambiente e desenvolvimento de várias aplicações reais, com um foco maior na área de saúde pública. Esta iniciativa conta com a participação dos professores Alexandre Mota, Augusto Sampaio, Juliano Iyoda e Márcio Cornélio do CIn-UFPE, Sidney Nogueira da UFRPE, Marcel Oliveira da UFRN e Jones Albuquerque da UFRPE e LIKA-UFPE. 

PARCERIA COM O TRE-PE

O empreendimento mais recente surgiu a partir da primeira edição, que teve início em outubro de 2021, da Residência em Robótica e Inteligência Artificial Aplicadas a Testes de Software (uma Especialização Lato Sensu, onde os estudantes recebem bolsas de estudos), convênio formado entre o Centro de Informática (CIn) da UFPE e a Softex, sob coordenação dos professores Alexandre Mota e Augusto Sampaio, através do Programa Prioritário Nacional de Inovação (PPI) Lei 8.248/91, o qual permite investimento de P&D para criação de projetos que fomentem a pesquisa, desenvolvimento e inovação no país.
 
Este novo convênio possui um site onde podem ser vistos mais detalhes sobre a iniciativa. Nesta primeira turma, os estudantes vêm trabalhando na programação de robôs com emprego de técnicas de Inteligência Artificial (Visão Computacional), para realizarem o processo de validação de uma eleição em urnas eletrônicas do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), em um acordo firmado entre a UFPE, Softex e TRE-PE, e conta também com a colaboração de pesquisadores do Voxar Labs.
 
O curso tem como foco a automação e execução de diversos tipos de testes, realizados através de Robótica e Inteligência Artificial. A ideia é formar profissionais altamente qualificados e gerar oportunidades na área de hardware, setor ainda carente de valorização no cenário brasileiro. A formação é destinada especialmente aos alunos de Engenharia da Computação e das engenharias em geral. A segunda turma da Residência em Robótica e Inteligência Artificial Aplicadas a Testes de Software está prevista para ter início em outubro deste ano.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com Dr. Roberto Galvão Filho, oftalmologista
Soldado russo se declara culpado por crime de guerra na Ucrânia
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Grupo Diario de Pernambuco