Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

SAÚDE

Hospital Dom Tomás avança no tratamento do câncer e amplia atendimento

Publicado em: 11/05/2022 11:43

O hospital, atualmente, conta com 35 médicos em todo o seu quadro de funcionamento (Divulgação)
O hospital, atualmente, conta com 35 médicos em todo o seu quadro de funcionamento (Divulgação)
O segmento de saúde do Vale do São Francisco está comemorando a realização crescente de procedimentos em oncologia, inéditos no Sistema Único de Saúde (SUS), a exemplo de uma cirurgia de cabeça e pescoço (laringectomia parcial), efetuada em um paciente do sexo masculino, de 23 anos, no Hospital Dom Tomás (HDT), em Petrolina.

Referência em tratamento oncológico para mais de dois milhões de pessoas, residentes no sertão pernambucano e cidades da Bahia e Piauí, o hospital Dom Tomás, conta hoje com 35 médicos entre oncologistas, cirurgiões oncológicos, cirurgião de cabeça e pescoço, oncologista pediátrico, hematologista, mastologista, cardiologista, e urologista.

De acordo com o diretor médico da unidade hospitalar, Alan Ribeiro, para oferecer assistência humanizada e integral aos pacientes com câncer e seus familiares, o local dispõe de serviço de colonoscopia e endoscopia digestiva alta, ultrassonografia, radiografia, tomografia computadorizada, ECG, ecocardiograma, mamografia, laboratório de análises clínicas completo e serviço de anatomia-patológica.
 
"Contamos ainda com uma UTI adulta com 10 leitos, centro cirúrgico com duas salas para cirurgias de média e alta complexidade e capacidade para realização de 40 procedimentos cirúrgicos por semana, além de uma equipe multiprofissional com enfermagem, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas e assistentes sociais", ressaltou.

O diretor acrescentou ainda que a realização dos procedimentos através do SUS, faz parte do projeto de expansão da entidade mantida pela Apami. Hoje, o Dom Tomás está em fase de ampliação dos serviços e passando por uma série de obras complementares que inclui o acréscimo do número de leitos de 21 para 60.
 
"Para que nenhum paciente oncológico precise sair de Petrolina, buscando o atendimento necessário em outra região do estado ou do país e, visando a ampliação dos serviços oferecidos à comunidade e ao processo de renovação, que exige instrumentais e equipamentos novos, precisamos da continuidade das doações e da generosidade de cada um", concluiu.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com a dra. Tamara Cristina, endocrinologista
Refugiados ucranianos no Brasil: mais de 10 mil quilômetros longe de casa
Manhã na Clube: entrevista com Miguel Coelho
Manhã na Clube: entrevista com dr. Antônio Manuel de Almeida Dias, presidente da CESPU Europa
Grupo Diario de Pernambuco