Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

ATIVIDADE

Em Olinda, idosos participam de oficina de música com peças de argila

Publicado em: 29/04/2022 11:45

Ação acontece no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
 (Divulgação)
Ação acontece no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Divulgação)
Os grupos de idosos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, assistidos pelos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) de Olinda, estão participando de uma oficina de música, conduzida pelo Mestre Nado e a educadora Sara Cordeiro. A ideia é fazer com que os participantes consigam resgatar bons momentos do passado, com estímulo da memória, além de aliviar o estresse e reduzir a ansiedade. Os encontros acontecem nos CRAS 1, 3, 6 e 10 do próprio município.

As oficinas são quinzenais e têm a proposta de promover atividades que contribuam no processo de envelhecimento saudável, no fortalecimento dos vínculos familiares e do convívio comunitário e na prevenção de situações de risco social.
 
A equipe técnica do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos aproveita a atividade para trabalhar o desenvolvimento cognitivo, através da música vinda dos instrumentos feitos de argila pelo Mestre Nado. A cada nova aula um estilo musical diferente é escolhido.
 
"É uma troca de energia que sempre tem o barro e sua capacidade transformadora como fio condutor", revelou o artista.

QUEM É MESTRE NADO?
 
Mestre Nado, de Olinda, é um dos seis novos Patrimônios Vivos de Pernambuco, eleitos pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural. Entre os requisitos apontados para a escolha pelos conselheiros estão os saberes de cada mestre, a contribuição para a formação cultural e o tempo de existência.
 
As artes, os sons e afetos produzidos por Nado não se restringem às paredes da oficina localizada no número 43 da Rua Barão de Steple. Essa história começa bem antes, quando o homem começou a modelar sua vida com o barro e criou uma cultura relacionada à olaria e artesanato. Ela também não termina com o mestre, que logo tratou de repassar seu conhecimento à esta geração, que segue curiosa perpetuando o som do barro.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com Mendonça Filho e dr. Roberto Galvão Filho, oftalmologista
Ataque a tiros em escola nos EUA deixa 21 mortos
Para OMS, varíola do macaco ainda pode ser contida
Manhã na Clube: Henrique Queiroz Filho (PP), Edno Melo (Republicanos) e André Morais (CORECON-PE)
Grupo Diario de Pernambuco