Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

TRADIÇÃO

Troça Ceroula faz 60 anos e traz ao público show repleto de atrações

Publicado em: 04/01/2022 17:13

 (Foto: Divulgação.)
Foto: Divulgação.

Uma das troças carnavalescas mais tradicionais do carnaval pernambucano está completando 60 anos de fundação nesta quarta-feira (05). O grupo Ceroula, que desde 1962 alegra foliões nas ladeiras de Olinda irá festejar a data junto aos seus admiradores de forma diferente. No próximo dia 22 (sábado), no Shopping Patteo, em Olinda, os fãs da troça poderão comemorar o momento num evento Open Beer que traz várias atrações. 

 

O show acontece às 16h no piso G3 e conta com a presença do cantor Diogo Nogueira e dos grupos Fundo de Quintal e Art Popular. De acordo com Carlos Vieira, um dos diretores, os 60 anos não irão passar despercebidos independente do local de comemoração. “Gostaríamos muito de fazer a nossa festa nas ladeiras de Olinda, juntamente com o povo, mas infelizmente ainda não é momento. Estamos tentando fazer o melhor que podemos no momento para que os nossos 60 anos fiquem marcados na história da troça”

 

Os ingressos estão à venda no site bilheteriadigital.com ou fisicamente nas Lojas Esposende dos Shoppings Recife, RioMar e Tacaruna. O preço é R$ 130,00. Todos que comparecerem precisam estar adequadas aos protocolos de segurança estabelecidos pelo Governo do Estado.

 

História

 

A Ceroula foi fundada por cinco amigos apaixonados pela Folia de Momo, em 1962, e surgiu para concorrer com o Pijama, outra troça muito famosa na época.  A ideia inicial era sair às ruas de cueca durante o Carnaval. "Existia a Turma do Pijama e a gente queria fazer um negócio parecido. Naquela época, algumas coisas eram proibidas pela censura. Não podíamos sair de cueca, daí veio a ceroula", contou em entrevista ao Jornal do Commercio para o especial de Carnavais Saudosos, publicado em janeiro de 2018, Antônio Aurélio Sales, o Cabela, que faleceu poucos meses depois. A Ceroula começou pequena como uma agremiação de amigos, de familiares e com o passar do tempo foi agregando diversos foliões que se identificavam com a troça.

 

Em 1969, ano em que os norte-americanos Michael Collins, Buzz Aldrin e Neil Armstrong foram à lua, Milton Bezerra de Alencar, compôs o Hino da Troça. A composição logo caiu no gosto do povo, o que transformou o hino da Ceroula em um dos mais executados do carnaval pernambucano e ajudou a trazer para a troça inúmeros aficionados:

 

“Eu vou este ano à lua, não é privilégio foguete já tem. Eu quero ver se o carnaval de rua, Collins, Aldrin e Armstrong, falam que vai bem. Eu quero ver se tem troça que escolha, como em Olinda que tem a Ceroula, mas se tiver para mim é legal, passarei lá na lua todo o carnaval”.

 

A partir de 1987, Ceroula passou a aderir uma ala feminina, saindo a cada 5 anos, e em meados dos anos 2000 as mulheres passaram a abrilhantar anualmente o cortejo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com Carlos Veras (PT), deputado federal
China executa maiores exercícios militares em décadas
Papa recebeu como tapas os depoimentos de abusos no Canadá
Defesa de Brittney Griner alega falhas em provas apresentadas pela Rússia
Grupo Diario de Pernambuco