Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

SERVIÇO

Órgãos públicos contarão com intérpretes da língua de sinais durante atendimentos

Publicado em: 14/01/2022 12:30 | Atualizado em: 14/01/2022 13:02

 (Foto: Wesley D'Almeida/Divulgação)
Foto: Wesley D'Almeida/Divulgação
O Governo do Estado anunciou, nesta sexta-feira (14), o Libras@PE, serviço que vai disponibilizar intérpretes da língua de sinais, de forma virtual, em órgãos públicos. De acordo com a gestão estadual, o objetivo é ampliar o acesso de pessoas surdas a procedimentos como a emissão de carteira de identidade e CPF e o desbloqueio do VEM Livre Acesso. 

O Libras@PE funcionará da seguinte forma: ao buscar atendimento, a pessoa surda será direcionada a um espaço identificado por um selo que indica a disponibilidade do serviço. O intérprete de Libras intermediará a comunicação entre o usuário e o atendente a distância, por meio de um aplicativo operado em celular, tablet ou computador do órgão público, sem que o usuário precise dispor do app ou outra ferramenta. 

Nesta primeira etapa do projeto, que passa a funcionar em fase de teste, a tecnologia foi implantada na Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência (Sead), que funciona no bairro da Boa Vista, no Recife. Nos próximos dias, o serviço será implementado em outros órgãos, como o Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB), a Divisão de Concessão de Abatimentos e Gratuidades (DIAG) do Grande Recife Consórcio e o Expresso Cidadão. 

Segundo a secretária executiva de Segmentos Sociais, Marília Bezerra, a disponibilização do serviço nesta fase inicial priorizou procedimentos básicos para a garantia de direitos civis da população. Mas o potencial é de funcionamento por 24 horas, o que será importante quando o Libras@PE chegar a delegacias e à área da saúde. “Tivemos reuniões com secretarias e órgãos parceiros nas últimas semanas e começamos agora a testar essa tecnologia em serviços básicos de grande importância para assegurar o acesso a direitos. Vamos avaliar esses primeiros resultados e ampliar essa iniciativa para outros serviços”, explica.
 
O professor Edson Santana, de 41 anos, que tem deficiência auditiva, utilizou o serviço para buscar informações sobre o VEM Livre Acesso. Ele contou com o apoio de um intérprete de Libras conectado em São Paulo para intermediar a conversa com a atendente que estava na Sead, no Recife. “Eu utilizei o aplicativo, fiz a videochamada e fiz várias perguntas sobre inscrições, documentações. Achei uma possibilidade excelente”, comunicou Edson. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevistas com Dorgivânia Arraes (CRC-PE) e Fabi Soares, consultora de RH
Manhã na Clube: entrevistas com Augusto Coutinho (Solidariedade) e o psicólogo Carol Costa Júnior
Morre Olavo de Carvalho, considerado guru do bolsonarismo
Manhã na Clube: entrevistas com André de Paula (PSD), Eduardo Cavalcanti e Epitacio Rolim
Grupo Diario de Pernambuco