Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

CRIME

Polícia prende mandante e dois suspeitos de participação no assassinato de funcionária de casa de rações em Abreu e Lima

Publicado em: 30/09/2021 16:00 | Atualizado em: 30/09/2021 19:57

 (Foto: Reprodução/G1 PE)
Foto: Reprodução/G1 PE
Três suspeitos de participação no assassinato de Suzana Neves de Almeida, que era funcionária de uma casa de rações, foram presos na manhã desta quinta-feira (30) pela Polícia Civil de Pernambuco. De acordo com a polícia, os mandantes do assassinato e autores intelectuais do crime foram a proprietária de uma casa de rações concorrente e o marido dela, que está preso desde dezembro do ano passado. Outros três suspeitos de participação no crime seguem foragidos. 

O crime aconteceu no dia 21 de setembro, no bairro da Matinha, em Abreu e Lima, no Grande Recife. Conforme informações da polícia, o homicídio contou com a participação de mais dois presos que intermediaram o contato entre os mandantes e os executores do crime. 

A operação realizada nesta quinta, recebeu o nome de "Concorrência Desleal" e tinha como objetivo dar cumprimento a seis mandados de prisão e a quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela Vara Criminal de Abreu e Lima. No entanto, somente três suspeitos foram presos e os outros três seguem foragidos, sendo os dois responsáveis por matar Suzana, e o motorista que os levou até a loja de rações e os ajudou na fuga. No cumprimento do mandado de busca na residência da mandante do crime foram apreendidos um carregador de pistola 380 e mais de 70 munições. 

De acordo com a delegada da 6ª Delegacia de Homicídios, Estefânia Azevedo, o crime foi arquitetado para parecer um latrocínio - roubo seguido de morte. "Eles pretendiam fazer parecer um latrocínio e não uma execução, como de fato foi. Por isso, eles (os executores) foram instruídos a pegarem dinheiro da forma de pegaram".

A mandante do crime não teve o nome revelado. De acordo com a delegada, a mulher não demonstrou arrependimento, o que leva a polícia a crer ser uma pessoa fria. Depois de ser detida, ela foi submetida ao pagamento de uma fiança "e caso não seja paga, ela será submetida a uma audiência de custódia. Contudo, independente do resultado da audiência de custódia, foi dado cumprimento ao mandado de prisão e ela será recolhida ao presídio".

Ameaças ao irmão de Suzana
Segundo a delegada, o irmão da vítima e proprietário da casa de rações onde Suzana travabalhava, Roberto de Almeida, vinha recebendo ameaças dos mandantes do crime desde dezembro do ano passado. "Roberto vem recebendo diversos tipos de ameaças, proferidas pela proprietária da casa de rações concorrente, assim como de seu companheiro".

O irmão de Suzana trabalhou na casa de rações concorrente durante 10 anos. Depois, decidiu sair e abrir sua própria loja de rações, a poucos metros de onde trabalhou inicialmente. "A nova casa de rações pegou vários clientes e prosperava, enquanto a antiga casa de ração não ia bem. Isso gerou um sentimento de traição e os dois autores alimentaram essa vingança". 

Segundo a delegada, o crime foi premeditado. "Temos a informação de que eles cogitavam realizar 'alguma coisa', não necessariamente fazer do jeito que fizeram, mas poderiam fazer algo mau a Roberto e seus familiares". Ainda de acordo com Azevedo, Roberto e Suzana seriam mortos no dia 21 de setembro. "Roberto saiu apenas segundos antes dos executores entrarem na loja e acreditamos que por isso ele não foi alvejado", pontuou. 

A mandante do crime e seu esposo, que está preso no presídio de Igarassu, não teveram os nomes revelados. De acordo com a delegada, a mulher não demonstrou arrependimento diante do crime, o que leva a polícia a crer ser uma pessoa fria. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
CPI da Pandemia recomenda indiciamento de Bolsonaro
Manhã na Clube: entrevistas com Sileno Guedes e com a nutricionista Joyce Alencastro
CPI da Pandemia chega ao final com homenagens às vítimas da Covid
Manhã na Clube: ex-ministro Roberto Freire, dr. Cláudio Falcão e o advogado Pedro Avelino
Grupo Diario de Pernambuco