Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

RECOMENDAÇÃO

MPPE recomenda que PM observe eventual uso da força durante as manifestações de 7 de setembro

Publicado em: 03/09/2021 18:00 | Atualizado em: 03/09/2021 20:14

 (Foto: Arnaldo Sete / Esp. DP)
Foto: Arnaldo Sete / Esp. DP
O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da 7ª Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos e atribuição no Controle Externo da Atividade Policial da Capital, recomendou ao comandante-geral da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), coronel José Roberto de Santana, que "ordene firmemente aos subordinados a estrita observância do eventual uso da força, baseado nos princípios da legalidade, necessidade, razoabilidade e proporcionalidade", com o intuito de evitar excesso na utilização da força e emprego inadequado de armas - letais e não letais -, durante as manifestações previstas para o dia 7 de setembro, desde a concentração ao término.

De acordo com a 7ª Promotoria de Justiça da Capital, o contexto de enfrentamento à pandemia da Covid-19, não exclui a necessidade de a Polícia Militar manter e observar os direitos da população "à vida, à liberdade, à integridade física e psicológica, à liberdade de expressão e de reunião pacífica em locais abertos ao público participante ou não do ato público em questão".

De acordo com a Recomendação nº05/2021, também foi recomendado ao Comando Geral da PMPE que ordene aos policiais o uso adequado dos cadarços de identificação, em local visível no uniforme operacional e nos coletes balísticos. Além disso, também foi recomendado que o comando dê amplo conhecimento às equipes policiais "sobre a consequente responsabilidade administrativa, civil e criminal dos policiais militares envolvidos em possíveis excessos, afixando a Recomendação nº 05/2021 no Quadro de Aviso de todas as unidades policiais do Recife e divulgação no Boletim Geral da Corporação e outros meios eletrônicos entendidos como cabíveis". A Recomendação nº 05/2021 destacou observância para todas as manifestações públicas previstas para o dia 7 de setembro e amplamente divulgadas.

Além do Comando Geral da PMPE, a 7ª Promotoria de Justiça da Capital recomendou ao gerente-geral de Articulação e Integração Institucional e Comunitária (GGAIIC) da Secretaria de Defesa Social (SDS), coronel Ivanildo Cesar Torres de Medeiros, que adote, no âmbito da Mesa Permanente de Articulação, as tratativas necessárias para viabilizar o emprego de agentes de conciliação, identificados pela utilização de coletes da cor laranja, durante as  manifestações, também desde a concentração ao término.

"Ao corregedor-geral da SDS, Paulo Fernando Vieira Loyo, foi recomendado a expedição de provimento de cunho recomendatório ao efetivo da PMPE a ser empregado, bem como, no âmbito do Departamento de Correição, designe Grupos Táticos para Assuntos Correicionais, a fim de acompanharem as referidas manifestações, desde a concentração ao término", explicou em nota o MPPE.

Em nota, a SDS destacou que as forças de segurança estarão nas ruas para garantir que as manifestações ocorram de forma pacífica e ordeira, com a livre expressão do pensamento associada à manutenção da paz social, tanto para pessoas envolvidas em protestos, trabalhadores e pessoas que transitam na cidade do Recife.

"A Corregedoria Geral da SDS estará acompanhando os atos para assegurar que servidores públicos da segurança atuem dentro da técnica, legalidade, da prevenção à violência e proteção do cidadão, além de cumprirem as demais diretrizes dos códigos de conduta de cada força operativa", acrescenta o comunicado.
















Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco