Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

SAÚDE

Equipe da UTI Neonatal do HC produz luvas para auxiliar na adaptação de recém-nascidos

Publicado em: 09/09/2021 12:02

 (Foto: HC/Divulgação )
Foto: HC/Divulgação
A equipe da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital das Clínicas (HC), da Universidade Federal de Pernambuco, criou um equipamento aliado para auxiliar na adaptação de recém-nascidos. Tratam-se de luvas para procedimentos não cirúrgicos, preenchidas com arroz, que proporcionam um toque profundo e continuado, retomando à sensação da vivência intrauterina nos momentos de maior estresse e ausência materna.

“Um dos principais cuidados com o recém-nascido, prematuro e de baixo peso, ou mesmo aquele bebê que, embora tenha nascido no tempo certo, necessita de cuidados neonatais, é a neuroproteção. Uma das formas de atingi-la é sensorialmente, através do aconchego dos pais”, explicou a terapeuta ocupacional, Débora Santos, acrescentando que a unidade neonatal é um local no qual nem sempre é possível a presença dos genitores 24 horas por dia. “Devido a fatores como a alternância das mães devido à necessidade de cuidar de outros filhos, possíveis intercorrências ou até mesmo no caso de bebês colocados para adoção”, pontuou.

Débora trabalha na Unidade Neonatal e foi a pioneira na utilização das luvas proprioceptivas no HC. O recurso é utilizado desde 2017 no hospital universitário, mas não é conhecido por muita gente. Roseane Maria, mãe da bebê Camilly, nascida no dia 9 de agosto na unidade de saúde, conta que não conhecia as luvas antes de serem utilizadas em sua filha e afirma que o recurso foi um grande amigo no processo de adaptação da recém-nascida ao mundo externo. “Eu não fazia ideia da existência das luvas. Pra acalmar a minha bebê, eu só conhecia o meu colo mesmo”, falou, dando risadas.

Atualmente, a bebê está internada na Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (Ucinca), local onde é trabalhado o constante contato físico materno, porém, no caso de Camilly, que apresenta uma irritabilidade muito elevada, foi recomendado o uso das luvas. “Passo 24 horas com ela, mas à noite, quando ela fica mais irritada e chorando muito, eu coloco as luvas e ela se acalma, fica tranquila, e aí eu consigo descansar também”, afirmou Roseane.

As luvas proprioceptivas são indicadas quando o bebê é hiper-reativo, inquieto e/ou muito choroso, dificultando a manutenção de sua regulação e adaptação no ambiente hospitalar.

“Elas são utilizadas apenas nos casos de indicações, por profissionais especializados, como um recurso facilitador das respostas adaptativas do mesmo ao ambiente extrauterino e não como substitutivas do contato humano. Por isso, a prioridade para manutenção do estímulo sensorial do toque é primordialmente a regulação pela mãe e/ou pelo pai do recém-nascido”, ressaltou Débora.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco