Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

COMEMORAÇÃO

Dia do Profissional de Educação Física é comemorado com maior adesão às atividades físicas

Publicado em: 01/09/2021 08:50

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação
Após quase um ano e seis meses da pandemia do novo coronavírus, nem todas as pessoas se habituaram ao novo normal das academias de ginástica. Mas este ano, o Dia do Profissional de Educação Física, comemorado nesta quarta-feira (01), tem muito mais o que celebrar se comparado a 2020, pelo menos no quesito trabalho. A observação é do profissional de Educação Física e personal trainer, Diogo Veloso, que atua em uma academia no bairro de Boa Viagem. 

“O início do processo de reabertura das academias, foi marcado por baixa adesão, afinal, as pessoas precisavam se sentir seguras para frequentar os ambientes coletivos. Essa rotina está mais constante com maior número de alunos a cada dia, mas percebo que entre os idosos, a grande maioria permanece com suas atividades em casa”, observou. Ele alerta para a importância da retomada dos treinos, desde que seja feita com segurança. “Os próprios alunos devem colaborar e, ao mesmo tempo, cobrar que as medidas de prevenção da Covid-19 sejam cumpridas nas academias e em ambientes abertos”. A digitadora Kathia Arlego, 52 anos, se exercitou em casa durante o isolamento social e no primeiro dia de funcionamento da academia lá estava ela. “Eu estava ansiosa para retornar à rotina, a princípio com um pouco de receio por causa do vírus[coronavírus],  mas fui observando os cuidados que a academia tomava e me sentindo segura”, contou.

Entre as consequências deixadas pelo isolamento social estão o aumento de peso e o comprometimento no condicionamento físico. Diogo Veloso estaca a importância da readaptação aos treinos com cargas leves e moderadas e a prioridade em exercícios multiarticulares como agachamento e a flexão de braço, em conjunto com exercícios abdominais. O sedentarismo esteve presente para a aposentada Eleonora Queiroz, 57 anos. “Eu tinha um ritmo bom antes da pandemia fazendo pilates e caminhada. Parei de me exercitar e fiquei apenas fazendo dança em casa. Agora estou na musculação e me sinto bem melhor”, disse. Às pessoas que não se exercitam regularmente, fica a dica, “Sempre é tempo de começar. Após avaliação física e médica, o início da rotina pode ser com uma caminhada e exercícios leves, os benefícios são físicos e emocionais como a melhoria da autoestima”, ressaltou Veloso.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Na ONU, Bolsonaro diz ser contra passaporte sanitário
Manhã na Clube: Augusto Coutinho, Laurice Siqueira, Frederico Preuss Duarte e Kaio Maniçoba
Estudante abre fogo e mata pelo menos seis pessoas em universidade russa
Manhã na Clube: entrevista com Anderson Ferreira, prefeito de Jaboatão dos Guararapes
Grupo Diario de Pernambuco