Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

EDUCAÇÃO

Colégio Núcleo é destaque em olimpíadas de conhecimento

Publicado em: 30/09/2021 08:00

 (Conquistas são fruto de uma filosofia que valoriza todas as disciplinas da grade curricular. Foto: Divulgação)
Conquistas são fruto de uma filosofia que valoriza todas as disciplinas da grade curricular. Foto: Divulgação
Apesar de estarmos enfrentando o segundo ano de uma pandemia, os estudantes do Colégio Núcleo se destacaram e já receberam 451 medalhas em olimpíadas de conhecimento apenas em 2021. Já foram conquistadas 89 medalhas de ouro, 138 de prata, 155 de bronze e 69 de cristal em apenas 11 de 35 competições. Segundo a diretora Olímpica e de intercâmbio da instituição, Thatiana Stamford, as medalhas conquistadas são o resultado da cultura que incentiva a participação dos alunos em eletivas que existem no colégio. Em 2020, os alunos do Colégio Núcleo receberam 537 medalhas, sendo 158 de ouro, 166 de prata, 174 de bronze e 39 de cristal.

“Divulgamos, proporcionamos oportunidades e suporte. Quando os estudantes começam a ver os seus colegas conquistando medalhas, eles percebem que podem participar também”, explicou. A preparação dos alunos para esse tipo de competição é contínua e acontece durante as aulas das matérias do currículo obrigatório, assim como com as aulas das disciplinas eletivas durante a tarde. O colégio funciona em tempo integral, sendo o horário da tarde reservado para as matérias eletivas.

Para Júlia Fuentes, estudante do terceiro ano do Ensino Médio, o suporte do Núcleo foi necessário para a conquista da sua primeira medalha de ouro na 13ª Olimpíada Nacional de História do Brasil (ONHB). “O incentivo do Núcleo foi essencial em todo o processo da ONHB. O acompanhamento oferecido pelos professores na nossa rotina escolar, com testes baseados nas provas anteriores e debates, foi fundamental para o resultado”, disse a estudante. Ela já tinha recebido uma medalha de prata em 2019, quando fazia o 1º ano do Ensino Médio. Na ONHB de 2021, o estado de Pernambuco conquistou o 1º lugar de todo o país. Foram recebidas 17 medalhas e 9 delas foram conquistadas por alunos do Núcleo, sendo 2 de ouro, 3 de prata, além de 23 de cristal. A escola foi a mais premiada com medalhas na competição no país.

O Colégio Núcleo apresenta como diferencial a abordagem de todas as áreas de conhecimento. A instituição não foca em apenas uma disciplina, mas sim, valoriza todas as matérias, incentivando seus estudantes a descobrirem com qual área de conhecimento eles se identificam para que possam se aprofundar e, assim, participar das olimpíadas. Neste ano, os alunos já receberam medalhas em competições de matemática, química, biologia, medicina, robótica prática e teórica, entre outras.

Com a pandemia do novo coronavírus, a rotina de estudo mudou, eles precisaram sair das aulas presenciais para aulas remotas online, o que afetou o formato de realização das competições. Para Thatiana Stamford, os alunos ficaram frustrados por não poder viajar para as olimpíadas, mas conseguiram realizar bem as provas pela internet. “Costumamos ver o lado positivo também. Por exemplo: desde 2018, temos estudantes participando das simulações de Harvard e Yale. Em 2020, com a pandemia, tivemos um quantitativo 8 vezes maior. Por ser de forma remota, os custos de viagens e hospedagens não existiram, e mesmo assim, os estudantes tiveram contato com os participantes de outros países pela internet”, contou a diretora.

Além da conquista de medalhas, os estudantes que participam das olimpíadas de conhecimento têm revelado habilidades e talentos que podem ajudá-los no futuro. Surgem como resultado destas competições o fortalecimento do currículo, geração de oportunidade de estudar em faculdades sem precisar de vestibular, conquista de bolsas parciais ou integrais para estudar em universidades fora do país. Além disso, os jovens ainda constroem amizades fora do seu círculo social diário, com alunos de outras cidades, estados e países, que possuem o mesmo interesse. “As olimpíadas agregam muito no meio acadêmico. Fui estimulada a melhorar as minhas habilidades reflexivas e de escrita. Será a minha melhor memória acadêmica e incentivo todos os outros alunos a participarem”, finalizou Julia Fuentes, aluna do Núcleo e medalhista.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Destaque do Náutico, meia Jean Carlos completa 100 jogos com a camisa alvirrubra
Baixas na equipe de Guedes
Trump anuncia planos para lançar nova rede social
Manhã na Clube: entrevistas com Teresa Leitão (PT), Fernandes Arteiro e José Teles
Grupo Diario de Pernambuco