Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

INTIMIDAÇÃO

Pastor baleado por pistoleiros em ocupação do MST, no Recife, está internado na sala vermelha do HR

Publicado em: 20/07/2021 18:57 | Atualizado em: 20/07/2021 20:43

 (Foto: MST em Pernambuco)
Foto: MST em Pernambuco
Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de Pernambuco (MST) denunciaram uma tentativa de intimidação contra uma ocupação localizada no bairro do Jordão, na Zona Sul do Recife. No domingo (18), quatro pistoleiros invadiram o local, denominado de ocupação Nelson Mandela - onde está sendo construído um habitacional -, fizeram um refém e balearam um pastor evangélico na cabeça. A vítima, identificada como Paulo Silva, de 40 anos, também é militante e está internado no Hospital da Restauração, região central da capital. 

De acordo com o HR, onde está internado desde o último domingo, o pastor está em observação na sala vermelha e sem previsão de alta médica. Em um vídeo enviado a integrantes do movimento, a vítima relata dificuldades para realizar as necessidades fisiológicas, além de não estar sentindo as pernas e não conseguir ficar em pé. 

O dirigente do MST Região Metropolitana, José Severino da Silva, foi outra vítima da ação criminosa. Segundo ele, a ação é parte das investidas contra a ocupação. "Chutaram meu rosto e deram um tiro que pegou na cabeça de um companheiro, que perdeu muito sangue e está internado". Ainda de acordo o dirigente, uma viatura da Polícia Militar rapidamente chegou ao local, "mas disseram que não iam fazer nada, que ali era cada um por si". Outros integrantes contam que os PMs ainda proferiram xingamentos contra os ocupantes utilizando palavras como "vagabundos". 

Segundo outro membro da direção do MST, Paulo Mansan, que esteve na ocupação Nelson Mandela nesta terça-feira (20), algumas pessoas que saíram amedrontadas do local já retornaram e, apesar do clima mais ameno, a sensação ainda é de medo por parte das 300 famílias que residem no acampamento. 

"Estamos exigindo do governo do estado segurança. [As pessoas] estão com medo, porque todo mundo quer preservar a vida, mas com a perspectiva de se manter no espaço e ver uma solução", disse. Conforme o MST, o local, que fica às margens da BR-101, foi ocupado há cerca de um mês e grande parte das famílias foram vítimas dos alagamentos que aconteceram no mês de maio, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. A outra parte dos ocupantes está cadastrada para receber os habitacionais. 

Ao todo, são 18 blocos com 270 apartamentos no local. De acordo com o movimento, o boletim de ocorrência será feito nesta quarta-feira (21). A Polícia Civil de Pernambuco deu início às investigações do caso, que "seguem até a completa elucidação do fato".

Crime 

Segundo o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de Pernambuco (MST), quatro homens armados invadiram a ocupação no último domingo, agrediram e mantiveram um militante refém em um dos apartamentos da ocupação. Na ocasião, um outro militante, que também é pastor evangélico, foi baleado na cabeça. Paulo Silva foi socorrido para a UPA de Lagoa Encantada, e depois transferido para o Hospital da Restauração, onde permanece internado. 

Em nota, a Polícia Militar de Pernambuco informou que foi acionada e esteve no local onde ocorreu a tentativa de homicídio. Segundo a corporação, "não há ligação do crime com conflito agrário ou habitacional''.

Na mesma nota, a PM continuou dizendo que os homens chegaram ao local "se dizendo policiais e ao encontrar a vítima, no apartamento onde estava, perguntaram onde era a boca de fumo. Como não obtiveram resposta, efetuaram disparos, atingindo a cabeça da vítima". 

De acordo com integrantes do movimento, os policiais que chegaram ao local não prestaram socorro à vítima. Ao ser questionada pela reportagem sobre a atitude dos policiais, a PM disse que "uma viatura do 19º BPM,  que esteve no local do crime, se deslocou até a UPA e acompanhou a transferência para garantir a integridade do paciente". 

Por fim, a corporação disse que, no momento do translado, a vítima estava lúcida e "conversou com os policiais, contando que foi à invasão (termo utilizado pela PM) a convite de um outro popular, com a promessa de ganhar um dos apartamentos do movimento".

Segundo o MST, no entanto, o homem baleado além de pastor e militante, é morador do acampamento que fica ao lado da ocupação Nelson Mandela.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Apesar dos protestos, começa a Olimpíada de Tóquio
Manhã na Clube: entrevista com o Presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP)
Em busca por vestígios de vida em Marte
Manhã na Clube: entrevista com Carlos Mariz (Associação Brasileira de Energia Nuclear)
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco