Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

CONTAMINAÇÃO

Alta nos casos de Covid-19 no município de Nazaré da Mata deixa moradores amedrontados

Publicado em: 22/02/2021 12:45 | Atualizado em: 22/02/2021 23:09

Maria da Conceição estava presente no ato em memória de seu único irmão, o policial militar Rinaldo Vieira, uma das primeiras vítimas da Covid-19 no município.  (Foto: Rômulo Chico/ Esp. DP)
Maria da Conceição estava presente no ato em memória de seu único irmão, o policial militar Rinaldo Vieira, uma das primeiras vítimas da Covid-19 no município. (Foto: Rômulo Chico/ Esp. DP)
Os 42 mil habitantes de município de Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, estão cada vez mais assustados com o avanço da Covid-19. Em memória às vítimas locais, um ato foi realizado pela Diocese na manhã desta segunda-feira, em frente à catedral. Como uma forma de conter o vírus, a prefeitura suspendeu aulas presenciais em escolas, faculdades e cursos por 45 dias. A gestão também restringiu o horário de funcionamento de bares e restaurantes, que devem fechar às 20h, e limitou a presença de fiéis a 30% da capacidade de cada igreja.

Pelas ruas da terra do maracatu rural, pessoas ainda circulam sem máscara ou com equipamento de proteção sendo usado de forma indevida. Ayane Maria, balconista de uma farmácia no centro da cidade, conta que em pouco menos de um mês, a procura por medicamentos antigripais e ivermectina (remédio contra verminoses que não tem ação comprovada em relação à Covid) vem aumentando drasticamente, assim como tentativas de aquisição de cloroquina - medicamento para malária e outras doenças, que também não tem efeito contra o coronavírus. “Muita gente tem comprado alguns remédios por prevenção ou por já estarem apresentando sintomas. Agora, ao mesmo tempo que o pessoal tem medo e procura se prevenir querendo comprar algum remédio, não faz a prevenção básica, que é lavar as mãos, usar máscara e evitar aglomeração”, enfatizou.

Para alertar a população para os cuidados que devem ser tomados, a Diocese de Nazaré montou um painel com fotografias das vítimas, com a presença de poucos familiares das vítimas, para evitar possíveis aglomerações. Maria da Conceição estava no ato em memória de seu único irmão, o policial militar Rinaldo Vieira, uma das primeiras vítimas da Covid-19 no município. “Só saio de casa em extrema necessidade, porque estou morrendo de medo de pegar essa doença e passar para os meus filhos ou parentes, ainda mais depois que perdi meu único irmão. Só sabe desse medo quem passa por essa perda”, contou emocionada.

A Secretária de Saúde de Nazaré da Mata, Vera Dantas, diz que o município já realizou cerca de dois mil testes. Até o momento, 426 moradores de Nazaré da Mata já foram infectados pela Covid-19 e 37 óbitos foram registrados desde o início da pandemia. “Houve um aumento assustador nos casos da doença na cidade. No dia 14 de fevereiro estávamos com 314 casos confirmados e 26 óbitos. No dia 18, 426 casos confirmados. Acreditamos que isso é reflexo da volta dos moradores à cidade após o veraneio”. A secretária destaca ainda que apesar do decreto de fechamento de bares e restaurantes às 20h, o município não proibiu o funcionamento, em horário integral, na modalidade delivery dos estabelecimentos. 

Moradores também se queixam que é difícil manter hábitos básicos de higiene quando o município passa por uma severa falta d’água, com bairros chegando à marca de 20 dias sem abastecimento nas torneiras. O prefeito Inácio do Nascimento explica que a gestão convocou uma reunião, em caráter de urgência, com representantes da Compesa, e que está fazendo a distribuição em caminhões-pipa. “Não tem água nas torneiras, mas fizemos uma parceria com a empresa Mauricéia e distribuímos 60 mil litros, diariamente, nos bairros de Nazaré da Mata. O município já determinou a contratação de novos caminhões-pipa. Em uma audiência com o governador, foi determinado uma visita da Compesa às barragens Morojó e da usina Barra para que, em 20 dias mais ou menos, a solução possa ser dada”, enfatizou o prefeito.

A Compesa afirmou que desde que foi informada pela Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) sobre o período de baixas precipitações também para a Mata Norte de Pernambuco, foram realizados planejamentos e intervenções para a melhoria da captação de água da Barragem Morojozinho, localizada no município de Buenos Aires, dando mais confiabilidade para o cumprimento do novo regime de distribuição de água da cidade. Antes eram três dias sem água para cada dia de abastecimento. Agora, o abastecimento é feito a cada 10 dias. A Compesa informa ainda que a barragem de Morojozinho opera com apenas 11% da sua capacidade total de acumulação e que a companhia vem tentando resolver os problemas trazidos pela escassez de chuva.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Bolsonaro diz não ter briga com a Petrobras
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 24/02
Atividades econômicas proibidas em 63 municípios do Agreste e Sertão
Brasil aprova uso definitivo da vacina da Pfizer, mas imunizante ainda não está disponível
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco