Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

ÓLEO NAS PRAIAS

Uma mancha difícil de esquecer

Publicado em: 30/12/2020 09:15

 (Foto: Tarciso Augusto/ Esp. DP)
Foto: Tarciso Augusto/ Esp. DP
Em 2020, um problema surgido no ano anterior ainda trouxe muita preocupação para os pernambucanos. Em junho, nove meses depois que as primeiras manchas de óleo chegaram ao litoral pernambucano, vestígios voltaram a ser vistos em Pernambuco. Os resíduos foram encontrados em Muro Alto e Cupe, ambas em Ipojuca, e em Tamandaré. As três praias ficam no Litoral Sul do estado.

Os novos vestígios de óleo representam, ao que tudo indica, restos que ficaram enterrados devido à dinâmica sedimentar e voltaram à tona por causa das grandes ondulações na costa nordestina. Na época, a organização Salve Maracaípe classificou o ressurgimento do óleo como “fase pós-emergência”, e ressaltou que ainda há muito trabalho a ser feito. “Ainda há muito trabalho a ser feito nesses próximos anos para entendermos de fato os impactos desse derramamento”, disse um comunicado divulgado em redes sociais.

Movidas pela volta dos relatos de poluição causada pelo óleo nas praias, equipes da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas), da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), da Capitania dos Portos de Pernambuco, da organização Salve Maracaípe e do Ibama chegaram a fazer vistorias nos locais em que as novas manchas foram avistadas. Na ocasião, um comunicado emitido pela Semas apontou que as avaliações técnicas apontaram que o material encontrado era, realmente, proveniente das manchas de petróleo que atingiram o litoral do Nordeste e parte do Sudeste do país em 2019.

Ainda de acordo com a nota emitida pela Semas, o óleo recolhido em junho estaria, provavelmente, sedimentado no leito ou preso em corais, e tinha chegado à areia das praias por conta de uma combinação de fatores meteorológicos que reviraram o fundo e soltaram os fragmentos sedimentados. Também por meio de nota, a Capitania dos Portos afirmou ter removido os fragmentos avistados nas praias. O material recolhido foi encaminhado para análise no Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM), no Rio de Janeiro.

As primeiras manchas de óleo atingiram o litoral em agosto de 2019. Em Pernambuco, 47 praias e oito rios nos municípios de Barreiros, Cabo de Santo Agostinho, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Paulista, Rio Formoso, São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Tamandaré, Goiana, Recife e Olinda foram atingidos. Ao todo, a quantidade de óleo coletado superou 4,7 mil toneladas.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enem para todos com o professor Fernandinho Beltrão - Genética do sangue
Variante britânica do coronavírus continua a se espalhar pelo mundo
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 20/01
Técnica em enfermagem é a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 em Pernambuco
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco