Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

Recife

Parceria transforma Campo do União em laboratório de experiências urbanas

Publicado em: 01/09/2020 14:50

 (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR.)
Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR.
Com o objetivo de realizar o monitoramento e propor soluções para o uso dos espaços públicos de comunidades em contato com a covid-19, especialmente para crianças, a Prefeitura do Recife, através do programa Mais Vida nos Morros, firmou parceria com o Instituto Gehl People, entidade idealizada pelo dinamarquês Jan Gehl, autor do livro “Cidade para pessoas” e referência mundial na melhoria da qualidade de vida urbana. A comunidade do Campo da União, na Macaxeira, Zona Norte da cidade, entra no circuito de ponta da pesquisa em urbanismo, como uma das bases de campo do estudo. Na manhã desta terça-feira (1°), o prefeito Geraldo Julio esteve na comunidade para anunciar a colaboração.

Recife é uma das quatro cidades no mundo e única no Brasil a participar da pesquisa. A entrada no estudo coloca o Recife e o Mais Vida nos Morros como referência internacional em urbanismo e consolida uma história de 5 anos do programa que colocou a construção coletiva de soluções urbanas no centro das políticas públicas da cidade.

“Estamos aqui no Campo da União, uma comunidade que já aderiu ao programa Mais Vida nos Morros e agora com a parceria internacional com o Instituto Gehl People, a gente vai fazer uma experiência para ocupação dos espaços públicos e com um recorte voltado para as crianças também. Essa experiência que está sendo feita em algumas cidades do mundo e o Recife foi escolhido para passar por esse experimento. Jan Gehl é  autor de um livro Best-seller, Cidade para pessoas, vendido no mundo inteiro, que fala da transformação das cidades. E o Campo da União está na ponta de lança dessa experiência”, disse o prefeito Geraldo Julio. 

Através da parceria com o Gehl People, a comunidade do Campo da União contará com uma ferramenta que funciona como aplicativo desenvolvido pela entidade internacional para realizar o monitoramento do uso dos espaços públicos de comunidades em contato com a covid-19. A pesquisa de campo conduzida pelos profissionais do instituto dinamarquês irá observar o comportamento das pessoas, principalmente o das crianças, em um trabalho que acontece simultaneamente em Tel Aviv, em Israel; Tirana, na Albânia e Lima, no Peru e na capital pernambucana, hoje uma referência mundial em urbanismo social.

O objetivo inicial é que os dados coletados possam servir tanto para ajudar o Mais Vida nos Morros como também para outros projetos utilizando os territórios do programa para fazer um quadro comparativo do impacto da covid-19 no uso de espaços públicos com as outras cidades do estudo. Na pesquisa será realizada uma avaliação da aglomeração nos espaços públicos escolhidos, sendo reunidos dados sobre a adoção de práticas de distanciamento social e a utilização destes espaços na pandemia. O uso da ferramenta poderá beneficiar não apenas o Campo da União, mas todas as outras comunidades do Recife atendidas pelo Mais Vida nos Morros.

“Depois desses cinco anos da gente estar consolidando o protagonismo comunitário com uma política pública aqui na cidade, com o programa Mais Vida nos Morros, a gente está tendo o privilégio de ter esse reconhecimento internacional. Além da Fundação Bernard Van Leer, de parcerias com a ONU Habitat, agora a gente  está anunciando aqui uma parceria muito importante para nossa cidade, com o Instituto Gehl People, que vai permitir pensarmos em soluções para ocupação dos espaços públicos, em tempos de pandemia”, pontuou o Secretário Executivo de Inovação Urbana do Recife, Tullio Ponzi.

Cerca de 450 famílias, ou seja, 1.800 pessoas foram diretamente beneficiadas com o Mais VIda nos Morros no Campo do União. Além de ter sido beneficiada com a requalificação do quiosque e da tenda, e a criação de caminhos brincantes, pinturas, pausas urbanas e arte urbana. Casas, muros, ruas, calçadas, escadarias, postes e fachadas receberam a arte de Carlos André e Luciano Ferreira. A comunidade passou a ter como característica a sua própria personalidade local. O campo da união foi a primeira área do programa que recebeu novos mobiliários urbanos como bancos, lixeiras e brinquedos sensoriais feitos a partir da reutilização dos plásticos recolhidos pelos moradores. O local foi reurbanizado e devolvido para a população, que agora pode desfrutar de espaços de lazer, descanso e de brincadeiras lúdicas para as crianças.

A outra parceira internacional, a Bernard Van Leer Foundation, já vem investindo no Programa Mais Vida nos Morros para aprimoramento e sistematização de sua metodologia de desenvolvimento em prol do desenvolvimento infantil sob a supervisão técnica da Agência Recife para Inovação e Estratégia (ARIES).

O programa
O Mais Vida nos Morros vem se destacando nacionalmente e internacionalmente por conta do olhar especial para as crianças, onde o espaço público é pensado e desenhado sob a perspectiva das crianças, com reconhecimento da Child in The City e da Bernard Van Leer Foundation. O programa, que teve início em 2016, já beneficiou diretamente mais de 22 mil moradores, em 45 comunidades. O Mais Vida nos Morros ganhou escala de cidade no último ano. Entre 2016 e 2018, foram 2.150 famílias que tiveram o lugar onde vivem transformados. Enquanto só em 2019, foram 3.460 famílias, o que significa um aumento de 400% em relação a 2018.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista o candidato à prefeitura do Recife Coronel Feitosa (PSC)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #162 Anelídeos: segmentação corporal e parapódios
De 1 a 5: Dicas para a sua bicicleta ser seu transporte diário
Ministério da Saúde autoriza volta parcial da torcida na Série A
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco