Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Local

FUNASE

Reincidência de jovens atendidos pela Funase cai pelo segundo ano consecutivo

Publicado em: 15/05/2019 17:05 | Atualizado em: 15/05/2019 17:16

Seis em cada dez socioeducandos afastam-se da criminalidade. Foto: Marcelo Vidal/SDSCJ
O índice de reincidência em atos infracionais por jovens que passaram pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) caiu pelo segundo ano consecutivo, de acordo com o Governo do Estado. A taxa, que era de 61,84% em 2016, foi reduzida para 47% em 2017 e recuou ainda mais em 2018, chegando a 40%. Os dados, que registram uma queda de mais de 20 pontos percentuais, estão contidos no Balanço Anual da Funase, concluído recentemente.

A reincidência é medida com base no número total de socioeducandos em um ano, por meio do cruzamento de informações sobre quantos já cumpriram medida socioeducativa antes. Na prática, o dado é importante por ser um termômetro da efetividade do atendimento socioeducativo. "Este resultado faz parte de um planejamento de governo que envolve desde a prevenção, passando pelas ações efetivas de segurança pública, até a inserção social. Ainda há muito a ser feito, mas os dados mostram que estamos no caminho certo", avalia o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Sileno Guedes.

Em 2018, 2.207 socioeducandos foram inseridos em cursos profissionalizantes de instituições parceiras, como a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

"Recebemos um adolescente que, por vezes, veio de um cenário de muita fragilidade. Na Funase, ele tem acesso a uma série de políticas públicas e, o mais importante, começa a conhecer novos ambientes de estudo e estágio que abrem leques de possibilidades de futuro. A reincidência de 40% ainda não é a que almejamos, mas já é bem distante daquela que tínhamos dois anos atrás e mostra o resultado do trabalho que vem sendo desenvolvido", destaca a presidente da Funase, Nadja Alencar.

EGRESSOS - Em Pernambuco, o acompanhamento de egressos da Funase é feito pela Gerência Geral do Sistema Socioeducativo da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ). Por meio do Projeto Novas Oportunidades, esse público é preparado para entrar no mercado de trabalho. Desde 2014, 411 ex-socioeducandos com idades entre 12 e 22 anos foram atendidos. O programa busca diminuir a reincidência no cometimento de atos infracionais e mortes de egressos ameaçados pelo crime. Desde a implantação do projeto, 38 ex-socioeducandos reincidiram, o que equivale a apenas 9% do total de pessoas acompanhadas.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Putin anuncia vacina com imunidade duradoura
Rhaldney Santos entrevista o pré-candidato à prefeitura de Jaboatão Arnaldo Delmondes
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
De 1 a 5: entenda as diferenças entre os tipos de exames para a Covid-19
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco