Medo PM monitora bandidos após suposto toque de recolher

Por: Anamaria Nascimento

Publicado em: 09/02/2017 07:33 Atualizado em:

Os passos das quadrilhas das comunidades Entra Apulso e Ilha do Destino, em Boa Viagem, estão sendo monitorados para evitar novas ações criminosas. A informação foi dada ontem pela Polícia Militar em resposta à onda de medo e insegurança que tomou conta dos comerciantes e moradores do bairro, sobretudo da região que engloba as ruas Ernesto de Paula Santos e Ribeiro de Brito.

A preocupação aumentou depois que informações sobre um suposto toque de recolher levou estabelecimentos a fechar suas portas mais cedo e moradores a cerrar as janelas dos apartamentos na tarde da terça-feira. O recado, de origem desconhecida, se espalhou rapidamente pelas redes sociais e pelas ruas.

A apreensão começou a se intensificar por volta das 17h, quando surgiu a informação de que traficantes teriam ordenado que os estabelecimentos fechassem. Relatos nas redes informavam que criminosos decretaram o toque devido a uma disputa por bocas de fumo. Traficantes da Ilha do Destino iriam “vingar” uma invasão ocorrida na segunda-feira, quando 20 homens que seriam da Entra Apulso chegaram atirando.

Ontem, moradores e frequentadores do bairro só concordaram em conversar com a reportagem em anonimato. Um advogado contou que, no fim da tarde de ontem, precisou fechar o escritório que comanda mesmo diante de uma causa urgente. “Estávamos nos dedicando a um caso que demandava urgência quando tivemos que fechar. Liberei os funcionários e pedi para trancarem tudo.”

O fechamento antes do previsto gerou prejuízo a empresários e comerciantes. “Deixamos de funcionar por duas horas, pois só fecharíamos às 19h e tivemos que encerrar as atividades às 17h. Quando tomamos a decisão, o pânico já havia tomado conta dos colaboradores. Precisávamos fechar de qualquer jeito, pois ninguém conseguiria trabalhar diante daquela notícia”, disse o dono de uma loja localizada na Rua Ribeiro de Brito. Ontem, os estabelecimentos voltaram a funcionar no horário normal.

A PM informou que tomou conhecimento do suposto “toque de recolher”. De acordo com a corporação, o 19º Batalhão, responsável pela segurança do bairro, está monitorando as quadrilhas rivais. “Através das viaturas das Guarnições Táticas e do Grupo de Apoio Tático Itinerante, com apoio da Radiopatrulha, temos realizado abordagens constantes na área, para evitar confrontos”, respondeu a PM. O batalhão ressaltou que conta ainda com câmeras, que são monitoradas, além da equipe do Ciods.

A polícia informou que, na noite da última segunda-feira, foram realizadas duas ações no bairro, sendo uma delas a prisão de três suspeitos armados na orla e outra a detenção de cinco suspeitos que tentavam arrombar o cofre de um posto de gasolina. “Com frequentes fechamentos de pontos de venda de drogas, os marginais, sem dinheiro e sem o produto, estão partindo para tentar tomar as ‘bocas’ de rivais, mas a polícia está atenta para impedir que isso possa vir a tirar o sossego da população”, afirmou a PM, por meio de nota.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.