Diario de Pernambuco
Busca

CÂMARA

Aline Mariano diz que sofreu intimidação de militantes de outro vereador do Recife

Socialista não revelou nomes durante discurso na tribuna da Câmara Municipal

Publicado em: 27/05/2024 16:03

Vereadora Aline Mariano denunciou intimidações em tribuna da Câmara Municipal (Divulgação/Câmara Municipal do Recife)
Vereadora Aline Mariano denunciou intimidações em tribuna da Câmara Municipal (Divulgação/Câmara Municipal do Recife)
A vereadora Aline Mariano (PSB) revelou, em pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal do Recife nesta segunda-feira (27), que sofreu intimidações, através de mensagens e gestos obscenos, de militantes associados a outro parlamentar da Casa. A socialista não revelou nomes, apenas que o colega “tem votos no bairro da Várzea”.

Mariano diz que vinha recebido mensagens de ódio em seu celular, e que teria sido recebida com tais gestos obscenos por militantes políticos “plantados” pelo adversário ao acompanhar a entrega da pavimentação de ruas realizada pela Prefeitura.

“As ameaças começaram dias antes da nossa chegada ao bairro da Várzea para a ordem de serviço. Recebi no meu celular mensagens de intimidação, em tom ameaçador, dizendo para eu ter cuidado porque a Várzea tinha dono, e outras mensagens questionando se eu teria coragem de participar da agenda”, revelou a vereadora.

“Estou no meu quarto mandato e sou uma mulher aguerrida. Não tenho medo de movimento plantado por quem acha que é dono de bairro. A Várzea é do povo e não pertence a nenhum grupo político. Essas mesmas pessoas plantadas estavam lá durante o meu discurso e fizeram gestos obscenos, provando que não estavam ali para protestar. Na verdade, foram plantadas para tumultuar, intimidar e colocar gosto ruim no anúncio da obra”, continuou.

Ainda, a parlamentar expressou que o caso não se trata de uma manifestação legítima, e considera levá-lo à justiça. “Uma coisa é um protesto legítimo de moradores que lutam pela melhoria de qualquer lugar. Isso é democrático e eu defendo. Outra coisa são palavras de intimidação, falta de respeito, tentativa de impor o medo e fazer os gestos obscenos que tive a infelicidade de ver. Isso não é protesto. Isso é uma atitude criminosa e eu vou judicializar se voltar a acontecer”, expressou.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL