Diario de Pernambuco
Busca

TENTATIVA DE GOLPE

Zambelli abordou comandante da Aeronáutica sobre golpe e levou invertida

Depoimento de Baptista Jr., ex-comandante da Aeronáutica, fez revelações graves sobre Zambelli, Torres e Bolsonaro

Publicado em: 15/03/2024 13:58 | Atualizado em: 15/03/2024 14:13

''Brigadeiro, o senhor não pode deixar o presidente Bolsonaro na mão'', disse Zambelli, de acordo com o ex-comandante da Aeronáutica (crédito: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)
''Brigadeiro, o senhor não pode deixar o presidente Bolsonaro na mão'', disse Zambelli, de acordo com o ex-comandante da Aeronáutica (crédito: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)

Em depoimento prestado à Polícia Federal, em 17 de fevereiro deste ano, o brigadeiro e ex-comandante da Aeronáutica Carlos Almeida Baptista Jr. fez revelações graves sobre a tentativa de golpe no país, após a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva.

 

O conteúdo compromete não apenas o ex-presidente Jair Bolsonaro, que insistia em uma saída para tentar reverter o resultado, mas também o ex-ministro da Justiça à época, Anderson Torres, e a deputada Carla Zambelli (PL-SP)

 

Sobre Carla Zambelli, o brigadeiro contou que foi abordada pela parlamentar, no dia 8 de dezembro de 2022, após formatura dos aspirantes da FAB, em Pirassununga (SP), com a seguinte indagação:

 

"Brigadeiro, o senhor não pode deixar o presidente Bolsonaro na mão". E que respondeu a ela: "Deputada, entendi o que a senhora está falando e não admito que a senhora proponha qualquer ilegalidade".

Baptista afirmou que relatou esse fato ao ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, que revelou a ele ter sido abordado por Zambelli "de forma semelhante"

 

O brigadeiro, que depôs como testemunha, negou que houve fraude da eleição e que comunicou essa informação a Bolsonaro, que não se convencia.

 

O militar afirmou que foi entre cinco a seis vezes no Palácio do Alvorada se reunir com o ainda presidente, atendendo a seu chamado, em novembro, após o resultado da eleição já ser conhecido. E que ele, e outros integrantes do governo, informaram a Bolsonaro que as eleições foram limpas.

 

"Indagado, respondeu (o brigadeiro) que constantemente informou a Bolsonaro que não houve fraude, que não encontraram qualquer fraude ou vulnerabilidade que comprometesse o resultado das eleições", diz trecho do depoimento de Baptista Jr. 

 

Numa dessas reuniões, Bolsonaro perguntou ao ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), Bruno Bianco, "se haveria algum ato que poderia fazer contra o resultado das eleições". E, diz Baptista à PF, que

 

"Bianco respondeu que a eleição transcorreu de forma legal e que não haveria alternativa jurídica de se contestar as eleições".

 

Freire Gomes e Torres em lados opostos

 

O ex-comandante da Aeronáutica também citou o papel do então ministro da Justiça, Anderson Torres, que prestava "assessoria jurídica" a Bolsonaro sobre os aspectos para se decretar ou uma Garantia da Lei e da Ordem (GLO) ou a decretação do Estado de Sítio ou do Estado de Defesa.

 

O brigadeiro foi perguntado também se a postura do general Freire Gomes, então comandante do Exército, de não aderir à tentativa de golpe foi fundamental para evitar que algo semelhante ocorresse, Baptista respondeu que sim.

 

"Indagado se o posicionamento do general Freire Gomes foi determinante para que uma minuta de decreto que viabilizasse um golpe de Estado não fosse adiante respondeu: que sim, que caso o comandante tivesse anuído, possivelmente, a tentativa de golpe de Estado teria se consumado", diz trecho do depoimento de Baptista Jr. à PF.

 

E afirmou ainda o brigadeiro que o então comandante da Marinha, Almir Garnier, colocou as tropas à disposição de Bolsonaro em caso de um golpe para impedir a posse de Lula.

 

"Que em uma das reuniões com os comandantes das Forças após o segundo turno das eleições, dentro do contexto apresentado pelo então presidente Jair Bolsonaro, de utilização dos institutos, de GLO e defesa, o então comandante da Marinha, Almir Garnier, afirmou que colocaria suas tropas à disposição de Jair Bolsonaro", diz trecho de seu depoimento. 

 

As informações são do Correio Braziliense

Tags: zambelli | golpe |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL