Diario de Pernambuco
Busca

PARTIDO

Nova diretoria municipal do PSOL toma posse nesta quinta-feira (21)

Thiago Carvalho retorna à presidência do diretório após mandato como conselheiro tutelar

Publicado em: 21/03/2024 17:05

Thiago Carvalho é novo presidente do PSOL (Divulgação)
Thiago Carvalho é novo presidente do PSOL (Divulgação)
O novo presidente-eleito do diretório municipal do PSOL, Thiago Carvalho, toma posse junto à nova diretoria nesta quinta-feira (21), em solenidade às 19h no Plenarinho da Câmara dos Vereadores do Recife. No evento, também serão empossadas as novas líderes do Setorial de Mulheres do PSOL Pernambuco.

O militante do grupo Revolução Solidária - da deputada e pré-candidata a à Prefeitura do Recife, Dani Portela - foi dirigente da sigla na capital em 2019, mas deixou o cargo para assumir mandato no Conselho Tutelar.

“O PSOL representa os anseios e esperanças de quem acredita na política e nas mudanças estruturais através do nosso trabalho a nível nacional, estadual e municipal. É um desafio estar à frente dos instrumentos de luta da classe trabalhadora, dos desprivilegiados e dos famintos, mas é também uma honra e motivo de esperança”, declarou Thiago Carvalho.

Agora, eleito novamente, retorna ao cargo com discurso em prol de união interna na sigla, que reflete apoio recebido tanto por correligionários de seu grupo, como Robeyoncé, Francis Herbert, Jô Cavalcanti e a vereadora Elaine Cristina, como de diferentes correntes, como o Campo das Sementes, do vereador Ivan Moraes e da ex-codeputada das Juntas, Carol Vergolino.

“Meu nome funciona nesse papel de buscar unidade. O congresso é um momento de disputa interna partidária democrática, o voto da deputada tem o mesmo valor de qualquer outro. É importante ter forças políticas que divergem em alguns pontos, mas passado o congresso, o partido requer unidade, e caminhamos nesse sentido”, disse o dirigente.

Apesar do partido possuir uma pré-candidata própria a prefeita, a conquista do executivo fica em segundo plano para a nova diretoria do PSOL em 2024. O principal objetivo no horizonte é, na realidade, aumentar a influência e a atuação da legenda na capital com mais nomes na Câmara dos Vereadores.

“Um dos nossos principais desafios é aumentar nossa bancada e fortalecer nossas trincheiras de luta. Ocupamos a Câmara [Municipal] em 2018 com Ivan Moraes, em 2022  tivemos mais uma cadeira, e sabemos da importância da manutenção dos nossos mandatos, muito atuantes e coerentes”, afirmou Thiago Carvalho.

“Outro objetivo é organizar o partido para apresentar propostas que reflitam nossas lutas e bandeiras para a cidade. A casa já estava organizada, deixada por Lu Mendonça (ex-dirigente municipal do PSOL), mas agora temos que organizar para fora. Além disso, queremos ajudar na candidatura própria para a Prefeitura”, continuou.

Divergências

Apesar de não ter o mesmo peso quanto a representação na Câmara, a disputa pelo executivo com candidatura própria e o nome da deputada Dani Portela são pontos pacíficos no diretório recifense do PSOL, até como uma forma de ganhar mais projeção para expor sua agenda - um dos objetivos citados pelo novo dirigente.

A pedra no sapato do PSOL, entretanto, é o deputado federal Túlio Gadelha, que lançou sua pré-candidatura à Prefeitura da capital pernambucana pelo Rede Sustentabilidade. E como as siglas fazem federação, ou seja, possuem uma única vaga conjunta para a disputa, é preciso chegar a um consenso sobre quem será o representante, e um dos dois terá que voltar atrás.

O conflito apresenta dois caminhos completamente distintos para a chapa da federação. Dani Portela é a líder da oposição à gestão da governadora Raquel Lyra (PSDB) na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), e vem se aproximando do prefeito João Campos. Em fevereiro, a parlamentar recebeu o gestor em sua casa para conhecer seu filho recém-nascido, em um encontro informal que indicou o estreitamento da relação dos dois publicamente.

Túlio Gadelha, por sua vez, é aliado de Raquel Lyra desde as eleições de 2022, apesar de não ser o nome apoiado por ela ao pleito. O presidente do PSDB, Marconi Perillo, expressou seu desejo de ver uma candidatura tucana no Recife em 2024, e Daniel Coelho é explicitamente o nome de preferência, caso ele aceite a proposta de deixar o Cidadania.

A federação tem até o dia 05 de abril para apresentar as candidaturas a serem debatidas. O PSOL tem maioria, com 70%, contra os mínimos 30% obrigatórios do Rede, garantindo a prerrogativa de indicar o nome.

“Já ratificamos o nome da Dani Portela. Túlio tem toda a legitimidade, todo o respeito a ele, porém existem regras regimentais. Vamos cumprir esse rito, estamos em reuniões constantes, mantendo diálogo, mas a maioria quem decide. Temos um projeto para a cidade, é importante reafirmarmos a candidatura de Dani”, explicou Thiago Carvalho.

“Visamos a unidade da federação. Estamos em diálogo, respeitando os companheiros da Rede, mas confiando que nossa tática é a mais assertiva. E temos urgência. Estamos puxando reuniões para tentar vencer logo essas questões, e partir para a próxima pauta”, concluiu.

O Diário de Pernambuco tentou contato com o deputado federal Túlio Gadelha, mas não obteve resposta até o fechamento desta reportagem.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL