Diario de Pernambuco
Busca

CONTAS PÚBLICAS

Zerar o déficit primário também depende do Congresso, diz Haddad

Ministro manifestou-se sobre o tema um dia depois de o presidente da Câmara, Arthur Lira, afirmar que Legislativo respeita acordos políticos

Publicado em: 06/02/2024 13:17 | Atualizado em: 06/02/2024 13:23

O governo federal tem a meta de zerar o déficit público em 2024 (Crédito:Wilson Dias/Agência Brasil)
O governo federal tem a meta de zerar o déficit público em 2024 (Crédito:Wilson Dias/Agência Brasil)

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse, nesta terça-feira (6/2), que o cumprimento da meta de déficit fiscal para este ano não está apenas nas mãos do governo federal. “O resultado primário não vem por passe de mágica. Depende de vários setores. Entre eles, a apreciação de medidas que o governo mandou para o Congresso”, afirmou o ministro durante conferência realizada pelo BTG Pactual, em São Paulo. “Era a meta de governo; hoje, é do país”, acrescentou.

 

A meta fiscal para 2024 é de déficit zero. O governo, portanto, comprometeu-se a gastar apenas o que arrecada. Agentes do mercado, contudo, não acreditam que o alvo será atingido. Eles projetam um déficit que pode ficar entre 0,5% e 1%.

 

A manifestação de Haddad ocorreu no dia seguinte à declaração do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que defendeu que o Orçamento “não é, e nem pode ser, de autoria exclusiva do Executivo”.

 

Confira a reportagem completa no Metrópoles

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL