Diario de Pernambuco
Busca

OPERAÇÃO

Ramagem é alvo de operação da PF que investiga monitoramento ilegal na Abin

Deputado federal eleito pelo PL, Alexandre Ramagem comandou a agência no governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL)

Publicado em: 25/01/2024 08:40 | Atualizado em: 25/01/2024 08:48

Operação da PF no gabinete do deputado Alexandre Ramagem, na Câmara dos Deputados (Crédito: Ed Alves/ CB)
Operação da PF no gabinete do deputado Alexandre Ramagem, na Câmara dos Deputados (Crédito: Ed Alves/ CB)

O deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ) é um dos alvos da operação da Polícia Federal, deflagrada na manhã desta quinta-feira (25/1), que apura possível organização criminosa que teria se instalado na Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para monitorar ilegalmente autoridades públicas e outras pessoas. O parlamentar comandou a agência no governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

 

São cumpridos 21 mandados de busca e apreensão, além de medidas cautelares diversas da prisão, incluindo a suspensão imediata do exercício das funções públicas de sete policiais federais. Os mandados são cumpridos em Brasília (18), Juiz de Fora (MG) (1), São João Del Rei (RJ) (1) e Rio de Janeiro (1). Na capital federal, um dos mandados de busca está sendo cumprido no gabinete de Ramagem na Câmara dos Deputados.

 

Operação da Polícia Federal no gabinete do deputado Alexandre Ramagem (Crédito: Ed Alves / CB)
Operação da Polícia Federal no gabinete do deputado Alexandre Ramagem (Crédito: Ed Alves / CB)
 

 

De acordo com a Polícia Federal, o grupo, formado por policiais federais e servidores da Abin, usava ferramentas de geolocalização de dispositivos móveis sem a devida autorização judicial. Os investigados podem responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de invasão de dispositivo informático alheio, organização criminosa e interceptação de comunicações telefônicas, de informática ou telemática sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei.

 

A ação é uma continuidade da operação Última milha, deflagrada no ano passado. Segundo a PF, as provas obtidas a partir das diligências executadas à época indicam que o grupo criminoso criou uma estrutura paralela na Abin e utilizou ferramentas e serviços daquela agência de inteligência do Estado para ações ilícitas, produzindo informações para uso político e midiático, para a obtenção de proveitos pessoais e até mesmo para interferir em investigações da Polícia Federal.

 

Quem é Alexandre Ramagem?

 

Deputado federal eleito pelo PL em 2022, Alexandre Ramagem é ex-delegado da Polícia Federal (PF), função que desempenhou até o começo do mandato de Bolsonaro, em 2019. No início de 2019, Ramagem foi nomeado superintendente da PF do Ceará, mas abandonou a carreira policial para ingressar na política.

 

Ele passou um breve período como assessor da Presidência e depois foi escolhido para chefiar a Abin em junho daquele ano. Na Câmara, ele é um dos vice-líderes do PL e é titular da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e do Conselho de Ética. Ramagem também é pré-candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro nas eleições municipais deste ano.

 

Até o momento, o parlamentar não se pronunciou sobre a operação da Polícia Federal. O Correio tenta contato com Alexandre Ramagem, mas até a publicação desta matéria o jornal não obteve retorno. O espaço segue aberto para eventuais manifestações.

 

 

As informações são do Correio Braziliense.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL