Diario de Pernambuco
Busca

REONERAÇÃO

Haddad discorda de Pacheco sobre reoneração gradual

Ministro Fernando Haddad disse que a negociação com os líderes partidários será tratada em duas reuniões

Publicado em: 19/01/2024 13:50 | Atualizado em: 19/01/2024 13:59

Haddad disse ainda não ter conseguido conversar com o senador após a declaração (Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Haddad disse ainda não ter conseguido conversar com o senador após a declaração (Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta sexta-feira (19/1) que o governo federal deverá insistir na reoneração gradual da folha de pagamentos. Ao contrário do que pontuou mais cedo o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), o titular da pasta econômica não descartou a reoneração proposta pelo governo, mas indicou que a forma de discussão pode ser mudada.

 

“No que diz respeito à reoneração, nós insistimos que o melhor princípio é o da reoneração gradual, como foi feito com todos os outros benefícios relativos a impostos sobre o consumo. E se valeu para todo mundo, para todos os regimes especiais do país – incluindo os estaduais, do ICMS, incluindo os municipais, do ISS –, não seria um bom princípio para um imposto como o imposto previdenciário, que sustenta a Previdência?”, disse Haddad a jornalistas.

 

 

 

O ministro pontuou que a reforma tributária sobre o consumo – que já virou emenda constitucional – adotou um procedimento-padrão a benefícios tributários hoje vigentes, que é diluir no tempo seu fim, para que haja tempo de adaptação. Em tom crítico, ele ainda frisou que os R$ 150 bilhões investidos em desoneração da folha “não renderam um emprego e não renderam aumento de salário para ninguém”. 

 

Confira a reportagem completa no Metrópoles

 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL