Diario de Pernambuco
Busca

Alepe pode ter renovação após as eleições de 2024

A dez meses do pleito pelo menos oito dos 49 deputados estaduais têm os nomes cotados para a majoritária

Publicado em: 22/12/2023 06:00

Cerca de 16% dos 49 deputados estaduais podem disputar prefeituras do Estado nas eleições municipais de 2024. Caso sejam eleitos, haverá renovação na Assembleia Legislativa de Pernambuco com a posse de suplentes.

Líder da oposição na Casa Joaquim Nabuco, Dani Portela (PSOL) já lançou seu nome para a Prefeitura do Recife. Ela está no primeiro mandato como deputada estadual, mas chegou a ser a vereadora mais votada do Recife, em 2020. %u201CQuero ser a primeira prefeita negra do Recife. Governar é muito mais que fazer obras, é priorizar as pessoas%u201D, disse. Caso saia vitoriosa nas urnas, quem assume o mandato é o Juntas.

Dani Portela sairá candidata à Prefeitura do Recife em 2024 (Câmara de Vereadores do Recife)
Dani Portela sairá candidata à Prefeitura do Recife em 2024 (Câmara de Vereadores do Recife)


Outro que já colocou o bloco na rua foi Joel da Harpa (PL), que almeja o Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife. Embora nunca tenha se candidatado na cidade, avalia que tem boas chances. %u201CO Cabo é uma das cidades mais inseguras do Brasil e cerca de 50% dos moradores é evangélico. Pretendo trabalhar a pauta da segurança e o segmento evangélico. Tenho rodado a cidade e sentido uma boa aceitação%u201D, afirmou Joel da Harpa. Caso eleito, Rebeca Lucena o sucede na Alepe.

O Cabo também está no radar de outro deputado: Lula Cabral (SD), que já foi prefeito do município três vezes. Em 2020, porém, perdeu o pleito para o atual prefeito Keko do Armazém (PP) e ficou em segundo lugar. Se Lula Cabral for eleito no ano que vem, o seu sucessor seria o ex-vereador do Recife, Wanderson Florêncio.

Estreante numa majoritária, a deputada Gleide Ângelo (PSB) pode disputar em Olinda. Ela assumiu o comando municipal do partido para tentar fortalecer o partido na cidade, que não tem sequer um representante na Câmara de Vereadores. Se conseguir atrair novos quadros e montar uma chapa proporcional competitiva, pode ter o aval para disputar a majoritária. E caso eleita, quem assumiria seu lugar seria o vereador do Recife, Davi Muniz.

O deputado Mário Ricardo (Republicanos) pode disputar em Igara ssu. %u201CPoderei ser candidato. Isto será discutido com Miguel Ricardo, que é presidente municipal do partido até junho. Também vou escutar a população para decidir se devo continuar na Assembleia ou se devo colocar nosso nome para prefeitura%u201D, disse o parlamentar. O seu suplente é Tiago Pontes.

Já Cléber Chaparral (União), que já foi prefeito de Orobó, no Sertão, nutre o desejo de comandar a Prefeitura de Surubim, no Agreste. Izáis Regis (PSDB) vai disputar em Garanhuns, cidade que já governou por oito anos. Deputada de primeiro mandato, Rosa Amorim (PT) é pré-candidata em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Luciano Duque (SD) tem seu nome ventilado para retornar à Prefeitura de Serra Talhada, embora haja a pré-candidatura do vereador Ronaldo Dja. Até maio deverá haver uma posição sua em definitivo.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL