Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÕES

PSDB fecha acordo com Tebet, mas deixa para depois decisão sobre vice

Publicado em: 10/06/2022 08:25

 (Foto: MDB/Divulgação)
Foto: MDB/Divulgação
Depois de 13 meses, o PSDB, finalmente, decidiu o rumo que irá tomar nas eleições presidenciais deste ano. Em votação folgada, a Comissão Executiva do partido aprovou, ontem (8), a coligação com o MDB, em que vai oferecer à senadora Simone Tebet (MS) um nome para compor — na vaga de vice — a chapa da terceira via à sucessão do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Desde que o partido anunciou, em abril do ano passado, a convocação de prévias para escolher o nome que iria disputar a corrida presidencial, os tucanos se digladiam por causa de posições divergentes e, até, antagônicas. A solução aprovada pela cúpula do partido, com o reforço das bancadas na Câmara e no Senado, não fugiu do script. O apoio à tríplice aliança com MDB e Cidadania foi majoritário, mas interesses estaduais ficaram fora dos debates.

Dos 45 membros da chamada Executiva Ampliada (com a participação dos parlamentares que não têm assento na Executiva Nacional), 39 votaram pela coligação com o MDB e o Cidadania. Os dissidentes, em especial a bancada de Minas Gerais — unânime na reprovação da aliança com Tebet —, somaram seis votos — houve ainda uma abstenção.

Após quatro horas de reunião, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, anunciou o resultado e elogiou o esforço em favor da união do autodenominado centro democrático. "O PSDB abriu mão de uma história, de uma candidatura própria, para preservar o que é mais importante, que é oferecer alternativas para o eleitor", disse Araújo.

O nome que os tucanos oferecerão à vaga de vice-presidente não foi objeto de deliberação. Mas há um entendimento para que o senador Tasso Jereissati (CE) assuma a missão de caminhar ao lado de Tebet.

Dissidência
A ala que defende a tese da candidatura própria voltou a propôr, na reunião, o nome do ex-governador gaúcho Eduardo Leite para disputar a Presidência. Mas foi vencida.

"Temo que, em vários estados do Brasil, o PSDB tenha enorme dificuldade de caminhar com a candidatura do MDB", alertou o deputado Aécio Neves (MG), porta-voz do grupo dissidente. Ele deixou a reunião antes do resultado, indicando que a disputa interna pode se prolongar até as convenções partidárias — entre o fim de julho e o começo de agosto. E disse temer que o acordo "não tenha correspondência nas bases do PSDB, "que hoje já se dividem entre votar em Lula ou em Bolsonaro".

Para que o racha tucano não se aprofundasse, muitos defensores da candidatura própria acabaram apoiando a terceira via. Como o ex-governador de Goiás, Marconi Perillo, que não é da Executiva, mas fez questão de expôr seu ponto de vista aos correligionários.

Ele também queria que Eduardo Leite fosse indicado candidato do partido, por ter sido o segundo colocado nas prévias partidárias vencidas pelo ex-governador de São Paulo João Doria, que abdicou da disputa por falta de apoio interno. "Tenho certeza de que, se houvesse uma convocação, o governador Eduardo aceitaria ser o candidato à presidente", lamentou.

No início da noite, Bruno Araújo e os presidentes do MDB, deputado Baleia Rossi (SP), e do Cidadania, Roberto Fereire, reuniram-se por videoconferência com Tebet, que está de quarentena por ter testado positivo para Covid-19, para acertar "os próximos passos do grupo", segundo nota divulgada pela assessoria.

"Sabemos da responsabilidade. Estamos prontos. Com coragem e amor, vamos reconstruir o Brasil. Recebo com alegria e imensa honra o apoio do PSDB à nossa candidatura", postou a pré-candidata em suas redes sociais.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Toalhas de Lula e Bolsonaro movimentam o comércio e dão o tom das eleições
Desemprego cai a 9,8% entre março e maio no Brasil
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado federal Daniel Coelho e com a Dra. Magda Maruza
Grupo Diario de Pernambuco