Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÕES 2022

Mercadante defende fim do teto de gasto 'com responsabilidade fiscal'

Publicado em: 21/06/2022 16:33

 (crédito: NELSON ALMEIDA / AFP)
crédito: NELSON ALMEIDA / AFP
A proposta de acabar com o teto de gastos e a ausência de menção ao orçamento secreto no plano de governo da chapa Lula-Alckmin, divulgado nesta terça-feira (21/6) pelos sete partidos que integram a coligação (PT, PSB, PCdoB, PSol, Rede, PV e Solidariedade), foram assuntos que dominaram a entrevista coletiva concedida após o lançamento do documento.

Coordenador do grupo que preparou o plano, o ex-ministro Aloizio Mercadante (PT-SP) esclareceu que o fim do teto de gastos virá acompanhado de medidas que assegurem o que chamou de “sustentabilidade fiscal”.

Ele destacou que o documento aponta para a construção de “um novo regime fiscal, que disponha de credibilidade, previsibilidade e sustentabilidade”, que tenha “flexibilidade” e “garanta a atuação anticíclica”. Segundo Mercadante, a prioridade do governo Lula-Alckmin, se eleito, será estimular, por meio de investimentos públicos, a recuperação do setor produtivo com a “reindustrialização do país”.

“Num quadro de recessão, se você não tiver investimento público para retomar o investimento privado, você não retoma o crescimento. Se não retomar o crescimento, não melhora a relação dívida x PIB. Nós temos um grande desafio fiscal pela frente”, disse Mercadante, ressaltando que “muitos fiscalistas bem ortodoxos, históricos” também defendem o fim do teto de gastos.

Com relação ao orçamento secreto, Mercadante limitou-se a dizer que o assunto estava contido na defesa de um orçamento público transparente e na proposta de um novo federalismo, que repactue as relações entre União, estados e municípios na divisão dos recursos públicos.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) complementou: “O orçamento secreto já acabou com o teto de gastos há muito tempo, é a maior distorção administrativa, financeira, contábil de toda a História”. “É impossível continuar com essa equação”, sentenciou.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Grupo Diario de Pernambuco