Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

AMAZÔNIA

Bolsonaro: 'Ninguém culpou o governo quando mataram Dorothy Stang'

Publicado em: 15/06/2022 19:40

 (Dorothy dedicou-se a defender o direito à terra para camponeses e à criação de projetos de proteção da floresta, agindo junto à população e ao governo. Foto: Memorial da Democracia/Reprodução)
Dorothy dedicou-se a defender o direito à terra para camponeses e à criação de projetos de proteção da floresta, agindo junto à população e ao governo. Foto: Memorial da Democracia/Reprodução
Ao comentar os desaparecimentos do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, o presidente Jair Bolsonaro (PL) citou o assassinato da missionária norte americana brasileira Doroty Stang, em 2005 no Pará.

Para Bolsonaro, na época, ninguém culpou o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pela morte. O presidente vem sendo cobrado internacionalmente pela busca dos desaparecidos.

“Pelo que tudo indica, nas próximas horas, isso será desvendado, esse desaparecimento. E desde o primeiro dia, domingo retrasado, a nossa Marinha estava em campo. Tão me culpando agora por isso. Quando mataram a Dorothy Sting lá trás ninguém culpou o governo, era de esquerda. Mas tudo bem”, afirmou o presidente.

Na época, Lula foi criticado pela morte da missionária. Isso porque, as autoridades federais tinham sido avisadas que ela estava sendo ameaçada de morte.

A morte da missionária aconteceu em 2005 no município de Anapu, no Pará. Seus executores estavam a mando do fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, que pretendia eliminar um dos grandes nomes na mediação de conflitos agrários.

Dorothy sempre agiu na defesa dos trabalhadores rurais sem terra no estado. Desde sua chegada à Amazônia, ela dedicou-se a defender o direito à terra para camponeses e à criação de projetos de proteção da floresta, agindo junto à população e ao governo.

O indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian, desapareceram no último dia 5.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Quem é Júlio Lancellotti, o padre antissistema que dá esperança aos pobres
Grupo Diario de Pernambuco