Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÕES 2022

Bolsonaro: Não tem cabimento Fachin estar à frente do TSE

Publicado em: 07/06/2022 19:06

 (crédito: Isac Nóbrega/PR)
crédito: Isac Nóbrega/PR
O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a criticar ministros do Supremo, em especial, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin. Nesta terça-feira (7), o chefe do Executivo afirmou que o propósito dos ministros é “botar a esquerda no poder novamente”. Segundo o chefe do Executivo, o magistrado não deveria estar à frente do órgão.

“A população apenas indo às ruas não sensibiliza, por exemplo, Moraes, Fachin, Barroso. Não sensibiliza essas pessoas. Eles estão no propósito de botar a esquerda no poder novamente. O próprio ministro Fachin foi o relator do processo que botou Lula em liberdade. Não tem cabimento ele estar a frente do TSE e ter adotado as condutas que vem adotando”, reclamou em entrevista ao SBT News.

“Há poucos dias, o ministro Fachin se reuniu com embaixadores de 75 países. A mensagem que foi dada, não de forma explícita, é que o presidente da República ataca o sistema democrático eleitoral e não quer reconhecer nas urnas a possível vitória de Lula. Ou seja, ele já tomou partido, deveria se declarar suspeito. Não poderia estar à frente desse processo eleitoral”, disse, repetindo declaração de ontem.
Bolsonaro justificou também que os magistrados “abusam” e querem minar a candidatura dele para facilitar o retorno do PT.

“Acredito que a opinião pública já sabe o que está acontecendo no Brasil. Eu estando à frente disso, me fortaleço para lutar cada vez mais para que a nossa liberdade seja realmente respeitada e não a vontade de duas ou três pessoas aqui em Brasília. Mas em parte também, essas pessoas abusam e querem minar a nossa candidatura para facilitar o outro lado. O que fazem com o pessoal de direita, não fazem com o pessoal de esquerda”, acrescentou.

"Esses três podem muito, mas não podem tudo. Do lado de lá, parece não ter limites", disse, emendando que “cada vez mais estão dourando a pílula para Lula ganhar eleições”.

Questionado sobre aceitar ou não o resultado das eleições deste ano, o presidente voltou a colocar em dúvida o pleito e disse que não se pode terminar a eleição “sob o manto da desconfiança de modo que o lado perdedor fique revoltado” e caracterizou os ministros como irresponsáveis.

“Eles sabem do meu potencial e do que o povo está pensando. Queremos ter eleições limpas e dá tempo ainda de ter eleições limpas. Não podemos terminar eleição sob o manto da desconfiança de modo que o lado perdedor fique revoltado. Não pode acontecer isso daí. É irresponsabilidade esses três ministros do TSE levar avante esse processo que está aí sem discutir com a equipe técnica da CGU, da AGU, das Forças Armadas, coisa que eles não querem discutir”.

“Se esse sistema eleitoral nosso é tão bom, te pergunto: Japão, Coreia do Sul, França, Inglaterra alguém usa? Não. Só Brasil, Bangladesh e Butão. É sinal que tem algo esquisito lá dentro. Não podemos fazer eleições com essa suspeição toda pela frente e dá para resolver até lá com essas sugestões das Forças Armadas”, disse.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Última Volta: GP da Grã Bretanha de F1 2022
Toalhas de Lula e Bolsonaro movimentam o comércio e dão o tom das eleições
Desemprego cai a 9,8% entre março e maio no Brasil
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado federal Daniel Coelho e com a Dra. Magda Maruza
Grupo Diario de Pernambuco