Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÕES 2022

Aécio Neves lidera disputa pelo Senado em Minas Gerais

Publicado em: 17/06/2022 18:35

 (Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press
O deputado federal Aécio Neves, do PSDB, lidera a corrida rumo ao Senado Federal em Minas Gerais. Ele tem 18,5% das intenções de voto para o cargo, segundo pesquisa do Instituto F5 Atualiza Dados, divulgada com exclusividade por Estado de Minas e TV Alterosa nesta sexta-feira (17). O segundo colocado é o deputado Cleitinho Azevedo (PSC), que soma 12,8%. Os índices se referem à pesquisa estimulada, na qual os cidadãos têm de opinar a partir de uma lista de possíveis candidatos.

Há, no entanto, grande fatia de votos em aberto. Isso porque o levantamento registrou 23,6% de indecisos, 13,5% de potenciais manifestações nulas ou em branco, além de 13,3% de participantes que optaram por não responder. As três categorias, somadas, correspondem a 50,4% dos entrevistados.

O terceiro colocado é o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PL), que conseguiu 5,6% das menções. Em busca da reeleição, o senador Alexandre Silveira, do PSD, aparece com 3,8%.

Ele é seguido por Paulo Piau (MDB), ex-prefeito de Uberlândia, no Triângulo, que dispõe de 2,5% das intenções de voto. Atrás, está o deputado federal Marcelo Aro, do PP, com 2,1%. Depois, dono de 1,8% aparece Carlos Melles (PL), presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e ex-parlamentar.

A professora Sara Azevedo, pré-candidata ao Senado pelo Psol, tem 1,6%. Duda Salabert (PDT), vereadora de Belo Horizonte, soma 0,9%.

A F5 Atualiza Dados fez 1.560 entrevistas telefônicas em Minas entre os dias 13 e 16 deste mês. A margem de erro dos resultados é de 2,5% - para mais ou para menos.

Segundo o diretor-executivo do instituto, Domilson Coelho, a indecisão de cerca de metade dos participantes do levantamento tem explicação.

"A população observa muito pouco o cargo de senador. Não que ele seja pouco importante, mas na eleição, chama menos a atenção e envolve menos discussão do que governador e presidente", diz ele, que é graduado em Administração Pública pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e pós-graduado em Ciência Política.

Indecisos dominam pesquisa espontânea

No levantamento espontâneo, onde os participantes podem citar livremente o nome de um político, Aécio também aparece na frente e foi citado em 5,8% das respostas. Apesar disso, há predomínio de indecisos (36,7%), brancos e nulos (20,1%) e abstenções (18,7%).

Ainda na pesquisa espontânea, Cleitinho soma 4,4%. Depois, aparece o deputado federal Reginaldo Lopes, do PT, com 3,1%. Em que pese o percentual, ele abriu mão da pré-candidatura para viabilizar a união entre PT e Alexandre Kalil, do PSD. Assim, Alexandre Silveira se tornou o nome de Lula ao Senado por Minas.

Citados, também, Álvaro Antônio (3%), Silveira (2,3%), Piau e Marcelo Aro - ambos com 2%. Esse último, embora tenha sido citado entre os hipotéticos concorrentes ao Senado, também é cotado para ser o vice-candidato na chapa do governador Romeu Zema (Novo).

À esquerda, Sara Azevedo e Duda Salabert foram citadas espontaneamente por 1,2% e 0,7% do eleitorado, respectivamente.

Memória popular remete a Aécio

Dos listados na pesquisa, apenas Aécio, Melles e Duda Salabert não se colocaram como pré-candidatos a senador. Para Domilson, a liderança do tucano está relacionada ao papel dele em movimentos importantes, como a busca de parte do PSDB por um pré-candidato próprio ao Palácio do Planalto.

"Aécio não perdeu o recall político que tem. É um nome forte e conhecido não só em Minas, mas nacionalmente. Ele está na mídia e tem articulado nos bastidores - e intensificou sua atuação política e partidária nos últimos 30 dias", afirma.

No início deste mês, os tucanos acertaram caminhar ao lado da senadora Simone Tebet (MS), presidenciável do MDB. Aécio, porém, defendeu que o partido apresentasse o nome do ex-governador gaúcho Eduardo Leite.

Embora esteja na liderança da corrida ao Senado, ele ainda não bateu o martelo sobre seu futuro político e pode tentar renovar o mandato na Câmara dos Deputados. Na década passada, Aécio atuou oito anos como senador.

Silveira deve crescer com apoio de Lula

Senador da República desde fevereiro, quando substituiu Antonio Anastasia (PSD), agora ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Alexandre Silveira aparece em quarto lugar na sondagem estimulada.

"Acredito que ele vá crescer (com o apoio de Lula), mas vejo muitas dificuldades", ponderou Domilson. Na quarta-feira (15), Silveira participou de ato público com Lula e Kalil em Uberlândia, no Triângulo.

Depois de recusar duas sondagens para ser o líder do governo de Jair Bolsonaro (PL) no Senado, ele busca atrelar sua imagem ao ex-presidente petista.

"Não fizemos uma aliança só para elegê-lo e para eleger Kalil. Quero ajudá-lo a governar o Brasil no senado da República", garantiu ele, em direção a Lula. Neste ano, apenas uma das três vagas de Minas no Senado estará em jogo.

O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob os números MG-00062/2022 e BR-02909/2022. O nível de confiabilidade dos dados coletados é de 95%.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Suspeito de ataque a tiros com seis mortos é detido nos EUA
Manhã na Clube: entrevistas com o pastor Wellington Carneiro e Alexandre Castelano
Planta gigante, prima da vitória-régia, é descoberta em Londres
Manhã na Clube: entrevistas com a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e Juliana César
Grupo Diario de Pernambuco