Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÃO 2022

Pré-candidatos ao Planalto criticam declarações de Lula à revista Time

Publicado em: 05/05/2022 07:51

 (Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Pré-candidatos ao Planalto criticaram as declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à revista Time, em que responsabilizou tanto o presidente da Rússia, Vladimir Putin, quanto o da Ucrânia, Volodmir Zelensky, pela guerra no Leste Europeu.

Para o ex-governador Ciro Gomes (PDT) — terceiro colocado nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República — "a posição da Rússia tem de ser condenada". "Isso está introduzindo a linguagem da guerra como solução de conflitos. E alguns conflitos potenciais nós precisamos cuidar, porque senão a humanidade vai para a violência de um genocídio, de extinção em massa. Vê se pode a gente tratar o assunto com essa leviandade e demagogia do Lula", disparou, em entrevista à CNN.

O ex-governador paulista João Doria, pré-candidato pelo PSDB, reprovou as falas. "Dizer que Zelensky é tão culpado quanto Putin é exaltar o autoritarismo e depreciar o líder da Ucrânia, vítima de crimes de uma guerra cruel", sustentou, em postagem no Twitter. "Isola o Brasil das posições mais razoáveis do Ocidente. A democracia deve condenar as agressões e o conflito. O mundo quer paz", acrescentou.

O partido de Doria também se manifestou. "As declarações de Lula sobre o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, mostram que o fato de ele se apresentar como o candidato do resgate da democracia brasileira é uma fraude. Sobre Bolsonaro já sabemos, mas a verdade é que Lula sempre concordou com políticas ditatoriais", enfatizou o PSDB.

Desafeto do petista, o ex-ministro Sergio Moro (União Brasil) — que ainda se coloca como disponível para concorrer ao Planalto — foi outro que condenou as declarações. "Lula, na entrevista na Time, culpa Zelensky, Biden e a União Europeia pela guerra na Ucrânia. Mal disfarça o seu desprezo por Zelensky e a sua preferência por Putin e por regimes autoritários. Esta é a via democrática?", questionou.

Embaixada
A embaixada da Ucrânia no Brasil também reagiu a Lula. A representação diplomática disse que o petista está "mal informado" e, por isso, será convidado para uma audiência com o encarregado de Negócios da Ucrânia no Brasil, senhor Anatoliy Tkach.

"A Embaixada da Ucrânia tem motivos para acreditar que o senhor Luiz Inácio Lula da Silva está mal informado sobre os motivos da guerra da Rússia contra a Ucrânia", diz a representação diplomática em nota. "A Embaixada planeja solicitar formalmente uma audiência do estimado ex-presidente do Brasil", acrescenta. Segundo a representação diplomática, o encontro será para "esclarecer a posição da Ucrânia".

A Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022 para, supostamente, tentar impedir a aproximação do país com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), representação do Ocidente controlada pelos Estados Unidos. A medida foi condenada oficialmente pela Organização das Nações Unidas (ONU) com voto favorável do Brasil, e uma série de sanções econômicas já foram anunciadas pelo mundo em resposta.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Cada vez mais brasileiros procuram a medicina tradicional chinesa
Manhã na Clube: entrevistas com Bruno Rodrigues e Débora Almeida
Grupo Diario de Pernambuco