Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ELEIÇÕES

Pesquisa CNT/MDA: Bolsonaro cresce 4 pontos, mas Lula lidera com 40%

Publicado em: 10/05/2022 13:40 | Atualizado em: 10/05/2022 14:01

 (crédito: AFP)
crédito: AFP
Nova pesquisa do Instituto MDA Pesquisa, encomendado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), aponta que o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) é rejeitado por 43,6%, sendo bem avaliado por 30,4%. Já o desempenho pessoal do chefe do Executivo é desaprovado por 58,8% e aprovado por 37,9%.

Divulgada nesta terça-feira (10), a pesquisa eleitoral mostra que, para o voto espontâneo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua à frente (33,4%) contra Bolsonaro (27,3%). Os candidatos polarizados são seguidos por Ciro Gomes (3,8%), João Doria (0,9%), André Janones (0,5%), Outros (1,2%), Branco/nulo (5,8%) e Indeciso (27,1%).

Já no voto estimulado, o petista aparece com 40,6% das intenções de voto enquanto Bolsonaro fica com 32%. Ambos são seguidos por Ciro Gomes (7,1%), João Doria (3,1%), André Janones (2,5%), Simone Tebet (2,3%), Felipe D%u2019Avila (0,3%), Branco/nulo (5,1%) e Indeciso (7,0%).

Segundo turno

A pesquisa também avaliou o segundo turno e, entre os cenários analisados, está a possível disputa entre Lula e Bolsonaro. Segundo a amostragem, 50,8% votariam em Lula e 36,8%, em Jair Bolsonaro; 9,2% votariam em branco ou nulo.

A pesquisa CNT

A pesquisa foi realizada entre 4 e 7 de maio de 2022 e foram entrevistados 2002 eleitores. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. O nível de confiança chega a 95,6%.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Manhã na Clube: entrevistas com Bruno Rodrigues e Débora Almeida
Manhã na Clube: entrevista com a dra. Tamara Cristina, endocrinologista
Refugiados ucranianos no Brasil: mais de 10 mil quilômetros longe de casa
Grupo Diario de Pernambuco