Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

JUSTIÇA ELEITORAL

Moraes ordena que associação explique financiamento de motociata com Bolsonaro

Publicado em: 04/05/2022 18:54

 (Foto:  FILIPE ARAUJO/AFP)
Foto: FILIPE ARAUJO/AFP
O ministro Alexandre de Moraes, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que a Associação Mensagem de Esperança Campinas (Amec), de São Paulo, se explique sobre uma eventual arrecadação e financiamento de motociata realizada no dia 15 de abril, que teve presença do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em despacho publicado nesta quarta-feira (4), o magistrado ordena que o grupo informe e comprove todos os recursos arrecadados.

A decisão atende a um pedido do PDT, que acionou o TSE afirmando que o presidente "vem repetidamente realizando atos de campanha, entre eles, motociatas e discursos inflamados, com vistas a impulsionar a sua candidatura à reeleição, o que é vedado pela legislação eleitoral".

A Amec, que ajudou a organizar a motociata, forneceu uma chave de PIX e pediu contribuições financeiras para que apoiadores de Bolsonaro participassem do evento no interior de São Paulo.

O PDT também disse que Bolsonaro "participou de diversos eventos, com viés eleitoral, ocorridos em Brasília, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, Santa Catarina, Pernambuco, Paraná e Rio de Janeiro, o qual somam despesas orçadas em cinco milhões de reais aos cofres públicos".

Moraes declarou que a decisão que é “inegável” que a conduta da associação poderá impactar nas próximas eleições, “especialmente pela capacidade de financiamento da campanha”.

“No caso, o PDT comprova a venda de ingressos na realização de eventos que, segundo narra, servem para promover a reeleição do Presidente da República. Defende, ainda, a possibilidade de que tais valores possam ser utilizados futuramente na campanha eleitoral, o que potencialmente torna plausível a configuração de "caixa dois", escreveu o ministro.

“Não fosse isso, o perigo da demora está demonstrado, diante da possibilidade real e iminente de realização de novos atos como o impugnado, com viés eleitoral e arrecadação antecipada, sem qualquer fiscalização por parte da Justiça Eleitoral”, disse Moraes.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: deputado Silvio Costa Filho (Republicanos) e dra. Tamara Cristina, endocrinologista
Refugiados ucranianos no Brasil: mais de 10 mil quilômetros longe de casa
Manhã na Clube: entrevista com Miguel Coelho
Manhã na Clube: entrevista com dr. Antônio Manuel de Almeida Dias, presidente da CESPU Europa
Grupo Diario de Pernambuco