Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

Lançamento

Mesmo sem Alckmin, Lula lança pré-campanha em São Paulo

Publicado em: 06/05/2022 20:53

 (Foto: Rodrigo Francisco/ Correio Braziliense)
Foto: Rodrigo Francisco/ Correio Braziliense
O lançamento da pré-candidatura de Lula, neste sábado (07) terá alguns desfalques importantes. O primeiro deles é a ausência de Geraldo Alckmin (PSB), pré-candidato a vice na chapa de Lula. Alckmin testou positivo para a covid-19 nesta sexta-feira e, por isso, acompanhará o ato de casa. Mesmo sem a presença do ex-governador de São Paulo, o PT manterá o evento que contará com, aproximadamente, 4 mil pessoas. Outra baixa no evento se dará com a falta de Danilo Cabral que também testou positivo para a Covid-19 esta semana. Marília Arraes também não comparecerá ao ato por causa do adoecimento da filha caçula, o que a fez cancelar todas as agendas políticas. Contudo, diversas lideranças políticas de Pernambuco deverão estar no lançamento que acontece em São Paulo. 
 
A deputada estadual Teresa Leitão (PT), provável nome indicado à disputa pela vaga ao Senado pela Frente Popular, confirmou presença para prestigiar o lançamento. Em suas redes sociais, ela disse que irá ver, pessoalmente, a história do Brasil começar a mudar novamente. "Vou representar Pernambuco junto a companheiras e companheiros aqui do estado. Nosso desafio é dar ao presidente Lula uma expressiva votação como ele já tem, mas que nós iremos ampliar", disse. Ainda pelos partidos da esquerda, outra liderança que estará no evento será o pré-candidato ao governo pelo PSOL, João Arnaldo.

Pela Frente Popular estarão no lançamento o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife, João Campos. Sem a presença de Danilo Cabral, eles deverão demarcar território em prol do pré-candidato reafirmando o único apoio de Lula ao Governo de Pernambuco. 
 
Durante o lançamento da pré-candidatura, Lula deverá fazer um discurso amplo, no formato de um manifesto onde abordará temas como a reconstrução e união nacional, o cenário de dificuldade e desafio para o próximo governo diante dos desmontes das políticas públicas creditadas na conta do atual presidente Jair Bolsonaro. Lula e Alckmin destacarão as medidas econômicas a serem tomadas para os mais pobres como uma das principais plataformas de governo. O ato terá um público estimado de quatro mil pessoas entre políticos, pré-candidatos, artistas, empresários, sindicalistas e da sociedade civil. Na ocasião, o PT, PSC, Solidariedade, PCdoB, PSOL, Rede e PV irão se filiar oficialmente. Outros partidos como o Avante, MDB e PSD também foram convidados. 
 
Após o lançamento da pré-candidatura, Lula e Alckmin já tinham uma série de viagens consideradas estratégicas para a campanha. Agora Lula deverá seguir sozinho até o restabelecimento de Alckmin. Uma das visitas que deverão ser adiadas para que a dupla possa ir junta será ao estado de Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país. Ainda não há definição do cronograma da agenda e qual será o primeiro estado visitado após a chapa formalizada. Nos próximos dois meses, a dupla pretende visitar alguns estados do sul onde Bolsonaro aparece bem nas pesquisas de intenção de voto. Na região Norte, os estados do Amazonas e Pará também entrarão na agenda dos pré-candidatos. A estratégia ainda contempla viagens separadas para que Alckmin vá a locais onde a resistência a Lula ainda é grande.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevista com Maria Zilá Passo, advogada especialista em direito da saúde
Fechamento de escolas durante pandemia pode gerar prejuízos por décadas no Brasil
Cada vez mais brasileiros procuram a medicina tradicional chinesa
Manhã na Clube: entrevistas com Bruno Rodrigues e Débora Almeida
Grupo Diario de Pernambuco