Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

STF

Moraes dá 48 horas para que Daniel Silveira se manifeste sobre indulto

Publicado em: 26/04/2022 17:10

 (crédito: STF/Divulgação)
crédito: STF/Divulgação
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes deu, nesta terça-feira (26), prazo de 48 horas para que a defesa do deputado Daniel Silveira (PTB) se manifeste sobre a graça concedida pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao parlamentar.

A decisão foi emitida hoje e determina ainda que a defesa de Daniel aborde o descumprimento de ordens judiciais por parte do deputado, como a de ter desligado sua tornozeleira eletrônica por oito dias.

Daniel Silveira foi condenado pelo STF a oito anos e nove meses de prisão por ter estimulado atos antidemocráticos. Porém, na última quinta-feira (21), Bolsonaro concedeu graça ao parlamentar, o que funciona como um indulto individual e libera o parlamentar de cumprir a pena.

Na decisão emitida hoje, Moraes ainda afirma que o “perdão” presidencial não afeta a inelegibilidade de Daniel Silveira por sua condenação. “Dentre os efeitos não alcançados por qualquer decreto de indulto está a inelegibilidade decorrente de condenação criminal em decisão proferida por órgão judicial colegiado", diz o documento.

Segundo o magistrado, "apesar de o indulto ser ato privativo do chefe do Poder Executivo", ele deve respeitar a Constituição. "Não constitui ato imune ao absoluto respeito à Constituição Federal e é, excepcionalmente, passível de controle jurisdicional, pois o Poder Judiciário tem o dever de analisar se as normas contidas no decreto de indulto, no exercício do caráter discricionário do presidente da República, estão vinculadas ao império constitucional", escreveu.

O indulto ainda deve ser anexado ao processo, segundo Moraes. "Após a manifestação da defesa, abra-se vista dos autos à Procuradoria-Geral da República, para manifestação, no mesmo prazo de 48 (quarenta e oito) horas”, diz a decisão.

Agindo como xerife
 
Em entrevista ao portal UOL nesta terça-feira, o ministro aposentado do STF Marco Aurélio Mello criticou as ações de Alexandre de Moraes na condução do caso. Para Mello, o ministro age de forma parecida a um “xerife”, o que não condiz com a situação atual.

"Ele está se aproximando de colocar a estrela no peito e o revólver na cintura. Ou seja, a atuação como xerife não é o que convém. Os homens aceitam muito mais gestos do que palavras. Não cabe partir para o discurso visando fustigar a quem quer que seja", disse o magistrado.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Refugiados ucranianos no Brasil: mais de 10 mil quilômetros longe de casa
Manhã na Clube: entrevista com Miguel Coelho
Manhã na Clube: entrevista com dr. Antônio Manuel de Almeida Dias, presidente da CESPU Europa
Tite divulga lista de convocado  com uma surpresa
Grupo Diario de Pernambuco