Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

ANVISA

Bolsonaro fica sem reação após ser desafiado por chefe da Anvisa

Publicado em: 10/01/2022 20:39

 (Foto: Evaristo Sá/AFP)
Foto: Evaristo Sá/AFP
O presidente Jair Bolsonaro (PL) não esboçou qualquer reação, até o momento, depois de ser desafiado pelo diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, a apresentar indícios de corrupção no órgão regulador.

No último sábado (08), Barra torres divulgou uma nota rebatendo declarações feitas por Bolsonaro durante uma entrevista, na quinta-feira (06). Na ocasião, o chefe do governo questionou "o que está por trás" da decisão da Anvisa de autorizar a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. Também chamou os defensores da imunização infantil de “tarados por vacinas”.

Na nota divulgada em resposta a Bolsonaro no sábado, Barra Torres afirmou: “Se o senhor dispõe de informações que levantem o menor indício de corrupção sobre este brasileiro, não perca tempo nem prevarique, Senhor Presidente. Determine imediata investigação policial sobre a minha pessoa aliás, sobre qualquer um que trabalhe hoje na Anvisa, que com orgulho eu tenho o privilégio de integrar".

O contra-almirante acrescentou: “Agora, se o Senhor não possui tais informações ou indícios, exerça a grandeza que o seu cargo demanda e, pelo Deus que o senhor tanto cita, se retrate. Estamos combatendo o mesmo inimigo e ainda há muita guerra pela frente".

A resposta de Barra Torres foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais durante o fim de semana e foi tratada pelos internautas como uma "invertida" do chefe da Anvisa no presidente da República. Parlamentares também apoiaram a manifestação do presidente da agência.

Antes de questionar a lisura do trabalho da Anvisa, Bolsonaro já tinha ameaçado, durante uma live, divulgar os nomes dos técnicos da agência que aprovaram a vacinação de crianças contra a Covid-19. Após a transmissão, aumentaram as ameaças de morte contra servidores do órgão por causa da questão da imunização infantil contra o novo coronavírus.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Morre Olavo de Carvalho, considerado guru do bolsonarismo
Manhã na Clube: entrevistas com André de Paula (PSD), Eduardo Cavalcanti e Epitacio Rolim
OMS: é possível encerrar fase aguda da pandemia este ano
Manhã na Clube: entrevistas com Carlos Veras (PT), Frederico Menezes e Marlon Malassa
Grupo Diario de Pernambuco