Diario de Pernambuco
Busca

GREVE IMINENTE

Após pressão, Campos Neto receberá servidores do BC para tratar reajuste

Publicado em: 06/01/2022 18:15

 ( Foto: Raphael Ribeiro/BCB)
Foto: Raphael Ribeiro/BCB
Após ser pressionado por servidores do Banco Central que pedem reajuste salarial, o presidente do órgão, Roberto Campos Neto, concordou em se reunir com representantes dos funcionários para negociar. Segundo o sindicato que representa os trabalhadores, a adesão a listas de não assunção de comissões e de entrega de cargos nas comissões do órgão já se aproxima dos 50%.

A informação foi confirmada ao Correio pelo presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), Fábio Faiad. Ele adiantou que o objetivo da conversa é pedir a Campos Neto para que utilize "sua influência junto ao presidente Jair Bolsonaro" para avançar nas conversas pelo reajuste salarial.

A intenção do Sinal, agora, é conseguir cada vez mais apoio até o ato marcado para dia 18 de janeiro, quando servidores de várias carreiras, incluindo a elite do funcionalismo público e membros do chamado “carreirão” devem se encontrar na frente do Banco Central para protestar contra o congelamento de salários — que, em alguns casos, perdura desde 2017.

Este será o primeiro dia de paralisações marcadas para janeiro. Nos dias 25 e 26, servidores voltam a cruzar os braços. Caso as negociações com o governo não avancem, líderes sindicais indicam que uma greve geral poderá ocorrer em fevereiro. Até o momento, o governo não deu qualquer retorno aos pedidos de reunião.

O ato é liderado pelo Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) e há conversas com o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) para unificar protestos e ter maior adesão. No mesmo dia, os funcionários públicos também planejam protestar em frente ao Ministério da Economia.

No caso dos funcionários do BC, a pressão se intensificou na última segunda-feira (3). O Sinal tem reuniões marcadas com vários setores da autarquia nos próximos dias para, segundo o sindicato, explicar o processo das listas e convencer o maior número possível de pessoas a aderir. O BC tem cerca de 500 comissões gerenciais.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL

Eduardo Bolsonaro sobre o pai: 'Mais democrata nunca vi'

19/08/2022 às 12h33

Sergio Moro sobre disputa presidencial: 'Jamais estarei ao lado de Lula'

19/08/2022 às 12h22

Felipe Carreras é o deputado federal de Pernambuco que menos gasta verba pública

19/08/2022 às 12h03

Miguel Coelho recebe apoio de mais duas lideranças religiosas de Pernambuco

19/08/2022 às 11h52

Ministro do STF suspende decisão que tornava Eduardo Cunha elegível

19/08/2022 às 11h16

Confira a agenda dos candidatos à Presidência para esta sexta (19)

19/08/2022 às 08h09

Ciro Gomes se compromete a propor um código de leis trabalhistas

19/08/2022 às 07h32

Lula: pobres precisam voltar 'a comer, trabalhar e andar de avião'

19/08/2022 às 07h30

Lula promete criação de ministérios para indígenas e pequenas empresas

18/08/2022 às 22h16

Frente inter-religiosa publica nota de repúdio a Michelle Bolsonaro

18/08/2022 às 21h59

Ciro Gomes fala em reforma da CLT, caso seja eleito

18/08/2022 às 21h57

Sem comentar sobre agressão, Bolsonaro usa live para criticar esquerda

18/08/2022 às 21h55

Soraya Thronicke assina compromisso com Presidente Amigo da Criança

18/08/2022 às 21h39

Bolsonaro defende escolha de ministros por critérios técnicos

18/08/2022 às 21h36

Vera Lúcia diz que prioridade do seu governo será combate à fome

18/08/2022 às 21h34

Sofia Manzano vê reforma agrária como solução para desigualdade social

18/08/2022 às 21h32

Sebastião Oliveira viabiliza apoio de André Janones à Marília Arraes

18/08/2022 às 19h22

Datafolha: 51% dizem não votar em Bolsonaro de jeito nenhum

18/08/2022 às 19h21